Publicidade
Cotidiano
Notícias

Siglas partidárias se unem para ganhar musculatura

Bloco viabiliza volta do PR à base da presidente Dilma Rousseff no Senado 06/04/2012 às 12:12
Show 1
Alfredo Nascimento nega que aliança seja para pressionar por cargos
Antônio Paulo ---

BRASÍLIA (SUCURSAL)  – Três partidos se uniram no Senado e formaram um bloco para se viabilizar e se tornar politicamente mais fortes. Os partidos da República (PR), Trabalhista Brasileiro (PTB) e o Social Cristão (PSC), agora, vão contar com 13 senadores, igual ao PT que também tem o mesmo número de parlamentares.

A maior bancada é do PMDB, com 19 membros. Mas, o bloco PR/PTB/PSC quer ir mais longe. Está em negociação política com o novato Partido Social Democrata (PSD) que tem os senadores Kátia Abreu (TO) e Sérgio Petecão (AC). “Se tudo der certo, o nosso bloco terá 15 senadores e seremos a segunda maior bancada do Senado”, afirma o presidente nacional do PR, Alfredo Nascimento (AM).

O senador amazonense explica que a formação do bloco não tem objetivo de buscar cargo no Governo, mas de se fortalecer no Senado, participando das decisões e discussões importantes, com presença e comando nas comissões permanentes. “Agora, que a tramitação das medidas provisórias mudou, por conta da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que determinou a criação de Comissão Especial, o bloco PR/PTB/PSC vai disputar a presidência e relatoria desse grupo, hoje, sob o comando apenas do PMDB e PT”, disse Alfredo.

Questionado se o bloco partidário também vai interferir na disputa pela sucessão do presidente José Sarney, na Mesa Diretora do Senado, Alfredo Nascimento é categórico: “E por que não? Se vamos ser a segunda ou terceira maior bancada, essa decisão também terá que passar por nós”, avisa o parlamentar da bancada do Amazonas.

Apesar de ter anunciado, no mês passado, que iria para a oposição ao Governo porque não conseguiu emplacar um novo ministério – perdido com a saída do senador Alfredo Nascimento dos Transportes, em julho de 2011 – o PR está prestas a voltar à base aliada.

O líder do partido, no Senado, Blairo Maggi (MT), esteve recentemente com a presidente Dilma Rousseff e, ao final da conversa, anunciou que “o Partido da República está voltando a namorar o Governo. “Na verdade, a situação do PR com o Governo ainda não evoluiu, mas, ao integrar esse bloco marcamos a reabertura de uma porta para voltar a conversar”, acrescentou o senador do PR.  

União estratégica
A formação do bloco com PR e PTB, no Senado, não é uma sinalização de que os dois partidos irão caminhar juntos nas eleições municipais de outubro deste ano, mas nada impede que haja alguma negociação. Em Manaus, o PR indicará o deputado federal Henrique Oliveira para disputar a prefeitura. Já o PTB prometia lançar o deputado Sabino Castelo Branco.