Publicidade
Cotidiano
Notícias

Sindicato dos Metalúrgicos estima que empresas concederão férias para 90 mil funcionários

Esta estimativa “exagerada” é de autoria do Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas (Sindmetal/AM) e é questionada por representantes tanto da Federação da Indústria do Estado do Amazonas (Fieam) quanto do Centro da Indústria do Estado do Amazonas (Cieam) 04/12/2012 às 08:20
Show 1
Moto Honda deve conceder as férias a partir do dia 24 de dezembro
Luana Gomes ---

Entre dezembro e janeiro, as empresas do Polo Industrial de Manaus (PIM) devem enviar em torno de 90 mil trabalhadores para um “repouso temporário”. O que assusta é que o quantitativo apresentado pela entidade representa 73,04% das 123,22 mil pessoas empregadas no PIM, conforme dados de Indicadores da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa).

Esta estimativa “exagerada” é de autoria do Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas (Sindmetal/AM) e é questionada por representantes tanto da Federação da Indústria do Estado do Amazonas (Fieam) quanto do Centro da Indústria do Estado do Amazonas (Cieam).

O presidente da Fieam, Antônio Silva, comentou que “não existe nenhuma lógica” quanto ao que foi apresentado pelo Sindmetal. “Essa informação não tem cabimento. É normal ter férias coletivas no final do ano, que são programadas pelas indústrias, mas sempre ficam linhas de produção em plena atividade”, analisou, tendo em vista que os 90 mil funcionários indicariam a paralisação de mais de 70% das indústrias da Zona Franca de Manaus (ZFM).

Apesar de não ter o levantamento, o presidente do Centro da Indústria do Estado do Amazonas (Cieam), Wilson Périco, comentou que o número estipulado pelo Sindmetal é relativamente alto em relação ao quantitativo de funcionários que devem ficar em casa. Ainda assim, Périco destacou que o segmento de Duas Rodas é um dos que pode parar de forma mais brusca, em virtude dos estoques elevados. De acordo com ele, a atividade passa por dificuldades e, mesmo com as medidas de auxílio anunciadas pelo governo federal, a demanda por produtos está aquém da expectativa.

É o caso da Moto Honda, que deve conceder as férias a partir do dia 24. Conforme posicionamento da empresa, neste período estarão trabalhando apenas uma parte do pessoal administrativo e o pessoal de manutenção. Por causa da crise que assola o setor de duas rodas, este ano a empresa devem conceder 15 dias de férias coletivas ante os dez que tradicionalmente são dados.

(A íntegra deste conteúdo está disponível para assinantes digitais ou na versão impressa).