Publicidade
Cotidiano
RECOMENDAÇÕES

Sinepe orienta os pais a ficarem atentos para a escolha do transporte escolar

Entre recomendações estão o carro ter cinto de segurança para todos os estudantes e a refrigeração funcionando 10/01/2017 às 15:10 - Atualizado em 10/01/2017 às 17:49
Show 885093
Foto: Antonio Lima/Arquivo AC
acritica.com Manaus (AM)

Com a proximidade do início do ano letivo os pais já começam a planejar como será a rotina de levar e deixar as crianças na escola. Com a correria do dia a dia, muitos optam por contratar o serviço de transporte escolar. Nesse caso, o Sindicato de Ensino Privado do Estado do Amazonas (Sinepe/Am) orienta que os pais fiquem atentos aos itens de segurança, quando forem escolher a empresa que irá conduzir os filhos.

A presidente do Sinepe, Elaine Saldanha, recomenda que, antes da contratação do serviço, os pais pesquisem sobre a empresa no Departamento Estadual de Trânsito (Detran) e peguem referência com pessoas que já utilizam o transporte. “É importante perguntar dos outros pais o que eles estão achando do serviço, se há alguma reclamação”, ressalta.

Ela explica que as condições de conservação do veículo também devem ser observadas. O carro precisa ter cinto de segurança para todos os estudantes, o sistema de refrigeração deve estar funcionando, para evitar que as janelas fiquem abertas, os pneus devem ser novos e a manutenção do veículo estar regular. A viagem deve ser acompanhada por um monitor, além do motorista. O condutor deve ter mais de 21 anos, carteira de habilitação categoria D e alvará de circulação.

De acordo com Elaine Saldanha, a vistoria dos itens de segurança deve ser feita o ano inteiro e não somente no momento da contratação do serviço. “Os pais podem perguntar da criança, com regularidade, como foi a viagem e se houve algum problema”, salientou.

Outra dica que ela dá é que tenham os contatos telefônicos do condutor e de alguns pais que usam o transporte. Com os outros pais, podem trocar informações sobre o serviço e identificar, a tempo, qualquer irregularidade. “Os órgãos de trânsito são responsáveis por fiscalizar esse tipo de transporte, porém é papel dos pais acompanhar e saber de que forma esse serviço está sendo executado”, destacou Elaine Saldanha.

*Com informações da assessoria de comunicação