Publicidade
Cotidiano
Notícias

Solicitação de seguro-desemprego cresce 152% no Sine-Manaus

De acordo com o diretor do Sine-Manaus, Thiago Medeiros, a diferença de solicitações do benefício entre os Sines deve-se a problemas enfrentados pelo órgão estadual na sua estrutura – problemas de alagamento e rachaduras no prédio central –, que resultaram na transferência do atendimento para o Sine-Manaus 23/08/2012 às 07:08
Show 1
Ao menos 200 pessoas vão diariamente pelos postos do sine-Manaus em busca de emprego e do seguro-desemprego
Luana Gomes Manaus

Os dados dos postos do Sistema Nacional de Emprego no Amazonas (Sine-AM) e em Manaus (Sine-Manaus), referentes à solicitação do seguro-desemprego no período de janeiro a julho, mostram realidades completamente diferentes.

Nesse intervalo, 47.905 pessoas deram entrada no benefício no Sine-AM, que, além de Manaus, tem postos em Itacoatiara e Coari. Em relação a igual período no ano passado, houve uma variação positiva de 0,17%.

No Sine-Manaus, de janeiro a julho, 15. 441 pessoas solicitaram o mesmo benefício ante 6.127 que o requereram entre janeiro e julho de 2011,  crescimento de 152,02%.

Problemas
De acordo com o diretor do Sine-Manaus, Thiago Medeiros, a diferença de solicitações do benefício entre os Sines deve-se a problemas enfrentados pelo órgão estadual na sua estrutura – problemas de alagamento e rachaduras no prédio central –, que resultaram na transferência do atendimento para o Sine-Manaus.

Essa avaliação corresponde àquilo que também pensa o gerente do seguro-desemprego do Sine-AM, Lauro Araújo, segundo o qual vai levar ainda algum tempo para que sejam resolvidos os problemas estruturais (rachaduras, por exemplo) do prédio onde o órgão funciona no Centro da cidade.

Medeiros também comentou que a descentralização do atendimento do Sine-Manaus contribui para elevar os números relativos ao recebimento de solicitação do seguro-desemprego.

Em 2011, o Sine-Manaus contava com apenas um posto e, atualmente, possui três:  Centro, Cidade Nova e Morro da Liberdade. Com a ampliação, o número de atendimentos saltou de 120 para em torno de 300 a 400 por dia.

Medeiros também destacou  os efeitos da crise nas empresas do Polo Industrial de Manaus (PIM),  o que resultou em uma gama de demissões. “Com o retorno das contratações para o fim do ano, esperamos que esse saldo negativo possa ser amenizado”, avaliou.

Dois casos
Entre os trabalhadores que mais dão entrada no seguro-desemprego, figuram muitos com passagem pelas empresas do PIM, especialmente aqueles que fazem parte do setor de produção.

Este é o caso da industriária Silvane Castro dos Santos. Juntamente com a copeira Roneida dos Santos Ferreira, ex-funcionária de uma empresa do setor de duas rodas, as duas foram ontem à procura do benefício no Sine-Manaus.

De acordo com Rosineida, que passou um ano e dois meses numa fábrica de motocicletas, a justificativa para a dispensa dela foi a de que o momento está ruim para as vendas.

Ampliação
Enquanto resolve seus problemas estruturais, o Sine Amazonas inicia os preparativos para abrir dois outros pontos no município de Tabatinga e de Tefé, conforme o gerente do seguro-desemprego, Lauro Araújo.

Hoje, além do instalado no Centro, o órgão conta mais seis postos, quatro instalados nos Pronto Atendimento aos Cidadãos (PAC’s) e dois em Itacoatiara e Coari.