Publicidade
Cotidiano
Notícias

Susam nega pausa de terceirizados do Hemoam e diz que vai conferir supostos atrasos em pagamentos com a Sefaz

Empresa responsável pelos funcionários terceirizados afirma que o governo do Estado não repassa verbas há quatro meses dos serviços prestados em cinco unidades de saúdeEmpresa responsável pelosfuncionários terceirizados afirma que o governo do Estado não repassa verbas háquatro meses dos serviços prestados no Hemoam, Hospital e Pronto-Socorro daCriança da Zona Oeste, Hospital Infantil Doutor Fajardo, Fundação Centro deControle de Oncologia (FCecom) e Hospital Infantil Doutor Fajardo eFundação Alfredo da Matta  13/10/2015 às 22:06
Show 1
Os 32 funcionários do setor de serviços gerais do Hemoam reclamam do atraso nos pagamentos
rafael seixas Manaus (AM)

Secretaria Estadual de Saúde (Susam) negou, em nota, que  32 funcionários terceirizados do setor de serviços gerais da Fundação de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas (Hemoam) tenham cruzado os braços na manhã desta terça-feira (13) para reivindicar pagamentos atrasados. Segundo a secretaria, houve uma reunião com funcionários terceirizados e não uma pausa de protesto das atividades.

Na nota, a Susam informou que irá levantar junto à Secretaria estadual de Fazenda (Sefaz) a situação de pagamentos da empresa mencionada pela reportagem. "No caso da Fundação Hemoam, houve uma reunião dos funcionários da referida empresa, pela parte da tarde, e não uma paralisação dos serviços". A direção do Hemoam ressaltou que não houve prejuízos às atividades de manutenção da unidade.

De acordo com a gerente financeira da Jaks Serviços Comércio e Representação, Lidiane Oliveira, não está ocorrendo repasse de verbas por parte do governo. “Estamos com faturas em atraso. O Hemoam não tem nenhuma previsão de nos pagar”, disse.

Segundo a direção da empresa, há quatro meses o governo não pagar os serviços. “Nós estávamos pagando os funcionários com recursos próprios, só que chegou uma hora que não tínhamos mais de onde tirar dinheiro. Estamos esperando uma posição do governo do Estado para então pagarmos os nossos funcionários. Não temos recebido nada”, garantiu.

O gestor revelou que a Jaks Serviços Comércio e Representação Ltda também está tendo problemas no repasse do governo em outros órgãos em que presta serviços: são eles Hospital e Pronto-Socorro da Criança da Zona Oeste, Hospital Infantil Doutor Fajardo, Fundação Centro de Controle de Oncologia (FCecom) e Fundação de Dermatologia Tropical e Venereologia Alfredo da Matta (Fuam).

“No Hospital e Pronto-Socorro da Criança da Zona Oeste não recebemos, por exemplo, há seis meses”, informou.

A nota da Susam não explicou a situação do pagamento dos serviços prestados aos outros órgãos do governo do Estado.

*Alterada às 21h57 para a inclusão de informações