Publicidade
Cotidiano
Notícias

TCE-AM nega outro recurso a Joaquim Lucena sobre contas desaprovadas de 2008

Relatora do processo Yara Santos manteve a decisão do conselheiro Júlio Cabral por entender que o “recorrente não apresentou novos fatos ou documentação que pudessem modificar a decisão do processo originário”  08/11/2012 às 15:33
Show 1
Relatora manteve decisão do conselheiro Júlio Cabral
acritica.com* ---

O pleno do Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE-AM) negou provimento a mais um recurso de reconsideração do ex-secretário municipal de Assistência Social, Joaquim Lucena, na sessão ordinária desta quinta-feira. A relatora do processo foi a auditora Yara Santos.

O gestor teve a prestação de contas de 2008 do Fundo Municipal de Assistência Social (FMAS) , desaprovada pelos TCE. Joaquim Lucena e Fábio Henrique dos Santos Albuquerque eram os ordenadores de despesas.

O relator do processo originário, conselheiro Júlio Cabral, julgou desaprovou as contas de Joaquim Lucena após constatar diversas irregularidades, entre elas a ausência de inventário dos estoques materiais e dos bens do patrimônio, bem como a falta de esclarecimento quanto a composição de diversas contas do FMAS.

Em seu relatório, a auditora Yara Lins afirmou que o “recorrente não apresentou novos fatos ou documentações que pudessem modificar a decisão do processo originário”, mantendo assim na íntegra a decisão do conselheiro Júlio Cabral.

Além da irregularidade nas contas, os conselheiros aplicaram multas de R$ 9,2 mil a Joaquim Lucena e de R$ 4,5 mil a Fábio Albuquerque.

Vereadores multados

Ainda na sessão, a prestação de contas dos presidentes das Câmaras Municipais de Parintins e de Japurá, Juscelino Melo Manso e Raimundo Feliciano L. Castro, respectivamente, foram julgadas como irregulares.

Juscelino Manso foi multado em R$ 13 mil pelos atrasos no encaminhamento ao Tribunal dos registros analíticos (ACP), referentes aos 12 meses no ano de 2011. Já Raimundo Castro foi multado em R$ 45 mil pela ausência de diversas documentações exigidas para julgamento das prestações de contas.


*Com informações da Assessoria de comunicação