Publicidade
Cotidiano
Notícias

TCE antecipa inspeção ordinária na Prefeitura de Iranduba (AM)

Decisão foi tomada após a atual prefeita interina de município e o controlador geral do município solicitarem inspeção extraordinária nas contas da cidade 21/01/2016 às 11:36
Show 1
O colegiado do TCE decidiu antecipar a inspeção ordinária no município de Iranduba neste ano
ACRITICA.COM ---

O colegiado do Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE-AM) decidiu antecipar a inspeção ordinária no município de Iranduba neste ano.

A decisão, tomada ontem durante sessão do pleno, é fruto de um pedido da atual prefeita interina de município, Maria Madalena de Jesus, e do controlador geral do município, Lourenço Borghi Junior, que solicitaram, no final do ano passado, uma inspeção extraordinária nas contas da cidade.

Como as inspeções anuais se avizinham e o exercício de 2015 já foi encerrado, os conselheiros decidiram, por unanimidade, inserir o município — alvo de investigação da polícia e do Ministério Público do Estado — no início da 1ª etapa de inspeções, previstas para iniciarem em abril deste ano.

Seguindo o parecer do Ministério Público de Contas (MPC), que alegou que uma inspeção extraordinária agora causaria gastos desnecessários, uma vez que as inspeções anuais já estão próximas, os conselheiros decidiram priorizar a auditoria no município, assim que as contas de Iranduba, de relatoria do auditor Alípio Reis Firmo Filho, forem entregues ao Tribunal de Contas.

De acordo com o conselheiro-presidente, Ari Moutinho Júnior, a comissão de técnicos da Secretaria de Controle Externo que irá ao município ainda será definida nas próximas semanas. A data da inspeção também deverá ser divulgado assim que o calendário de inspeções for aprovado pelo colegiado na reunião do Tribunal Pleno. Votaram a favor da inspeção ordinária os conselheiros Érico Desterro, Josué Filho e vice-presidente, conselheira Yara dos Santos Lins.

O município de Iranduba passa por instabilidade política desde que o prefeito Xinaik Medeiros foi afastado do cargo ao ser preso no dia 10 de novembro do ano passado. Ele é suspeito de cometer uma série de crimes de corrupção que causaram prejuízos de mais de R$ 56 milhões e deixou o município com serviços essenciais funcionando de forma precária.

Cassação

Em 30 de dezembro, a Câmara Municipal de Iranduba aprovou, por unanimidade, o prosseguimento do processo que pede a cassação do mandato de Xinaik Medeiros. A comissão processante tem prazo até fevereiro para decidir ou não pela perda do mandato.