Publicidade
Cotidiano
Notícias

Temporal eleva em 60% a venda de telhas no Amazonas

Após forte temporal muitas telhas ficaram destruídas, com isso, a venda de diversos materiais de construção foram procurados por consumidores 01/11/2012 às 07:38
Show 1
Comerciante Maria de Fátima amargou prejuízo com destelhamento
acrítica ---

Nem tudo foi choro no dia desta quarta-feira (31). O setor de material de construção registrou uma grande corrida por telhas, o que elevou o faturamento em 60% de algumas empresas, comparativamente ao que se verifica no dia a dia. Houve casos em que, por conta do repentino aquecimento, os estoques precisaram ser repostos.

Na loja Constrói, no Parque Dez de Novembro, Zona Centro-Sul, o gerente geral Loris Avi disse que muitas telhas, pregos e outros materiais de construção foram procurados pelos consumidores. Ele estimou aumento de 20% nas vendas. No local, o preço das telhas de amianto variava de R$ 11 a R$ 12.

A comerciante Maria de Fátima Lima foi uma das que precisou comprar material de construção. Ela comentou que precisou ir em quatro lojas antes de encontrar telhas e pregos. “Tive muita dificuldade, porque os produtos estavam em falta”, frisou. Maria pagou R$ 300 à vista, pois na única loja que ainda dispunha dos produtos, não foi possível fazer o pagamento no cartão devido à falta de energia. “Diante da necessidade, já que podem ocorrer outras tempestades, tive que me submeter”, alegou.

O gerente geral da Casa Gurgel, Nágerson Iglesias, disse que a rede conta com quatro lojas abastecidas semanalmente com quatro carretas “recheadas” de produtos. Ontem, no entanto, devido à grande demanda, foram necessárias mais três carretas para repor o estoque de telhas das três principais: matriz (Alvorada) e as filiais 1 (Cidade Nova) e 2 (Grande Circular).

Segundo ele, houve uma procura muito grande pelo item e acessórios para evitar infiltração, o que resultou em aumento de 40% nas vendas, quando comparado aos dias que o faturamento chega a R$ 70 mil. Apesar das lojas não estarem alheias à falta de energia, o gerente pontuou que todas contam com geradores. Para vendas no cartão, utilizam da Internet do celular, que, no caso deles, não apresentou problemas.