Publicidade
Cotidiano
Notícias

TIM cumprirá exigências da Anatel e prepara-se para apresentar plano de ações

Operadora terá agenda com a agência reguladora nesta semana e trabalha para adequar-se aos novos padrões de qualidade estabelecidos 22/07/2012 às 21:55
Show 1
No início de 2012, a Vivo atendia 44 municípios e, ao final de junho, ampliou o sinal para mais seis
Acritica.com Manaus
A TIM voltará a se reunir com a Anatel nesta semana, em Brasília, para apresentar um plano de ações, de forma a atender plenamente as exigências determinadas pelo órgão regulador. A operadora reitera o seu compromisso de oferecer serviços de qualidade aos consumidores ao priorizar investimentos. Somente este ano, a TIM investirá cerca de R$ 3 bilhões em infraestrutura. A empresa, porém, reconhece a existência de gargalos capazes de causar danos aos clientes e está empenhada para adequar-se aos novos padrões adotados pela agência.

“Trabalhamos prioritariamente para atender os altos níveis de exigência dos nossos usuários e não somente para cumprir padrões exigidos pela Anatel. Estamos inseridos em um mercado altamente competitivo, o que nos força a oferecer os melhores serviços e ofertas”, afirma Rogerio Takayanagi, executivo da TIM Brasil.  

 Foco em qualidade

A TIM está atenta às queixas expostas pela Anatel, como l igações interrompidas ou entrecortadas, mas empenha-se para melhorar os serviços. De acordo com o Índice de Desempenho no Atendimento do próprio órgão regulador, o IDA, que mede volume e prazo de atendimento das reclamações recebidas, a operadora apresenta evolução. Segundo esse parâmetro, reduziu em 36% a taxa de reclamações no primeiro trimestre de 2012 sobre o ano passado, e hoje tem a segunda melhor performance do setor. O número de demandas de seus consumidores nos órgãos competentes manteve a taxa registrada em 2010, de 0,04% de reclamações sobre a base de assinantes. E, em 2012, a operadora é menos demandada nos Procons integrados ao Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor, do Ministério da Justiça (SINDEC).

“Estamos dispostos a entender melhor estes indicadores apresentados pela Anatel para que possamos nos adequar às novas exigências. O que observamos é que esses resultados são diferentes daqueles usados normalmente pela própria agência para medir a qualidade de rede. Com relação aos indicadores oficiais, a TIM vem respeitando os limites definidos pela agência e sempre com ótimos resultados em relação às demais operadoras. Por isso, fomos surpreendidos pela decisão”, diz Takayanagi.

Mandado de segurança

Paralelamente à elaboração do plano de ações que irá apresentar à Anatel, a TIM entrou na última sexta-feira (20) com mandado de segurança contra a decisão da Agência Nacional de Telecomunicações (ANATEL) de suspender as vendas e ativações de novos chips da empresa em 18 estados do país e no Distrito Federal a partir de segunda-feira (23). A ação foi impetrada na 4ª Vara Federal no Distrito Federal.

Investimentos em rede

A TIM investirá cerca de R$ 3 bilhões em rede neste ano. O grande esforço do primeiro semestre foi a integração da rede móvel da TIM com a rede de fibra da TIM Fiber, para expandir a capacidade. Em 2013, a previsão é que 80% das maiores cidades brasileiras estejam conectadas via fibra. Esse investimento melhorará a qualidade de transmissão de voz e dados de forma significativa.

A operadora também trabalha na modernização de equipamentos, dobrando a velocidade da infraestrutura de acesso à internet móvel para 42 Mbps (HSPA+, etapa intermediária entre 3G e 4G). Hoje, em São Paulo, cerca de 50% dos sites já foram modernizados para operar com essa tecnologia, que seguirá nas principais cidades.

Para a TIM, qualidade é tema constante das interações com a Anatel e, neste sentido, a operadora trabalha com a área técnica para sempre oferecer a melhor prestação de serviço. A TIM saiu da última posição no indicador e assumiu a vice-liderança, estando cada vez mais próximo do primeiro lugar. Comparando o 1º trimestre/2012 com o mesmo período 2011 a TIM foi a única operadora a apresentar redução na taxa de reclamações e crescimento na pontuação do IDA.