Publicidade
Cotidiano
Notícias

Tour cultural: ‘Mandaçaia’ de volta do interior

Ações de estímulo à leitura foram desenvolvidas durante a turnê Espetáculo da companhia Contém Dança foi uma das atrações do projeto 24/01/2012 às 13:57
Show 1
Ações de estímulo à leitura foram desenvolvidas durante a turnê
acritica.com ---

Durante sete dias, a população de 11 municípios do interior do Estado teve acesso inédito às grandes produções culturais de companhias de artes cênicas amazonenses, récitas da Orquestra Amazonas Filarmônica, exibição de longas-metragens e de oficinas pedagógicas, que integraram a programação da primeira turnê “Mandaçaia Cultural”, projeto do Governo do Amazonas, desenvolvido pela Secretaria de Estado de Cultura (SEC).

Chegada
O primeiro barco da turnê, com mais de 20 artistas locais, retornou a Manaus na manhã de ontem, após visitar cinco municípios do médio Solimões: Anamã (a 165 quilômetros de Manaus), Codajás (a 240 km), Anori (a 195 km), Beruri (a 173 km) e Manaquiri (a 60 km). Hoje está prevista a chegada de mais dois barcos com 60 artistas da Filarmônica, que levaram música erudita às cidades da calha do Baixo Solimões, como Maués (a 276 km), Boa Vista do Ramos (a 271 km), Barreirinha (a 331 km), Parintins (a 369 km), Urucará (a 261 km) e Itapiranga (a 227 km). Veja fotos aqui.

 O pacote cultural levado a esses locais consolida a política de interiorização de ações artísticas, aposta da SEC. Segundo o secretário Robério Braga, esta é mais uma realização do governador Omar Aziz para despertar as manifestações em todo o território amazonense. “Com esta turnê estamos indo mais longe e dando novas projeções a essas ações. Devido ao sucesso do projeto, ele deverá entrar para o calendário de realizações culturais do Governo”, afirmou.

Além de oficinas de teatro e dança, salas de cinema e bibliotecas móveis, o intercâmbio cultural entre artistas e a comunidade do interior se deu por meio da apresentação do espetáculo de dança “Insights, imagens e ensaios”, da companhia Contém Dança, dirigida pela intérprete-criadora Francis Bayardi, e pela apresentação do espetáculo infantil “Cobra Norato”, da Associação Amazônia Arte e Mythos, dirigido por Narda Telles.

Em Anamã, a estudante Maíra Campos, de 10 anos, teve pela primeira vez a oportunidade de assistir a apresentações de teatro e dança. Encantada com a turnê, ela ficou ansiosa para a próxima visita da expedição. “Sempre gostei de arte, mas o único acesso a isso é pela televisão”, afirmou.

Um ‘atlas’ do segmento
Além de intensificar as atividades culturais no interior do Estado, uma equipe de seis estatísticos da SEC percorre os municípios, em paralelo às atividades artísticas, a fim de mapear o calendário cultural e até pontos turísticos de cada município amazonense. A meta, conforme explica o estatístico da secretaria, Manoel Dias de Lima, é elaborar o Atlas de Desenvolvimento Cultural do Amazonas – livro com informações mapeadas sobre o calendário, bem como informações culturais de cada cidade do interior do Estado.


 “Já estamos trabalhando desde janeiro do ano passado, agora, pegamos carona da turnê e pretendemos concluir o Atlas regional para antes da Copa do Mundo de 2014. Além de garimpar os eventos de cunho cultural, nossa busca também agrega artistas regionais para que eles tenham sua arte publicada para o mundo inteiro em três idiomas: inglês, espanhol e francês”, informou ele.

Ação para formadores
O “Mandaçaia Cultural” também deu início, por meio de oficinas, ao processo de multiplicadores da arte nesses locais, conforme destacou o professor das oficinas de teatro, Tiago Oliveira. “Ao ensinar as técnicas de teatro, estamos formando pessoas capazes de massificar essas manifestações artísticas nos seus municípios”, explicou.

O acadêmico de pedagogia pela Universidade Estadual do Amazonas (UEA) no município de Anori, Silas Moura, 24, depois de participar da oficina de teatro, pegou carona da turnê e revelou que tem uma proposta para a secretaria municipal de Educação do município. “Sempre achei que o teatro é uma das melhores alternativas para se trabalhar diversas disciplinas. Depois dessa oportunidade de aprender um pouco mais vou tocar um projeto de criação do grupo de artes de Anori”, disse.