Publicidade
Cotidiano
Notícias

Transporte por cabotagem deverá crescer 36% em dois anos

Os números detalhando as expectativas do setor serão apresentados durante o 18º Fórum Internacional de Logística & Expo.Logística 2012, entre os dias 20 e 22 deste mês, na capital fluminense 19/08/2012 às 16:52
Show 1
Cabotagem é o modal preferido para o transporte de mercadorias como motos e eletroeletrônicos
Nielmar de Oliveira/Agência Brasil Rio de Janeiro

Na esteira da retomada da indústria naval brasileira, e esquecido nas últimas décadas, o transporte de cabotagem no Brasil “caminha para um futuro promissor” e vive a expectativa de um aumento médio de 36% em volume de carga transportada nos próximos dois anos.

Os números detalhando as expectativas do setor serão apresentados durante o 18º Fórum Internacional de Logística & Expo.Logística 2012, entre os dias 20 e 22 deste mês, na capital fluminense.

Pesquisa recente do Instituto Ilos (Instituto de Logística e Supply Chain – cadeia de suprimentos) indica que seis entre as dez das maiores empresas do Brasil em faturamento pretendem aumentar o volume de carga movimentada pelo modal nos próximos dois anos.

“A expectativa é que o aumento médio transportado pelo modal seja de 36% nos próximos dois anos. O que aproxima o Brasil dos padrões mundiais desta modalidade de transporte, mais segura e eficiente e que, paralelamente, é muito menos poluente que outras modalidades de transporte de carga”, disse à Agência Brasil João Guilherme Araújo, diretor de Desenvolvimento de Negócios do Instituto Ilos.

Araújo destaca, dentre os setores mais interessados em ampliar a sua participação na cabotagem, os de higiene e limpeza, de cosméticos e farmacêutico, automotivo e de autopeças, químico e petroquímico e de alimentos e bebidas. “O nosso país tem 7.500 quilômetros de costa, 80% de sua economia estão a apenas 200 quilômetros dela. É portanto um tremendo e natural candidato a usar o transporte de cabotagem, que no entanto, é uma modal ainda subutilizado quando comparado com números internacionais”.

No Brasil, segundo ele, a cabotagem responde por apenas 9% do transporte de carga, contra 37% da União Europeia e 48% da China, o país que mais usa este tipo de transporte em todo o mundo.

O estudo feito com exclusividade pelo Instituto Ilos para o 18º Fórum Internacional de Logística aponta a rota Manaus-Santos-Manaus como a de maior potencial de crescimento. O Porto de Santos (SP) é visto pelas empresas entrevistadas como o principal ponto de saída de carga por cabotagem, seguido por Paranaguá (PR) e Manaus (AM). Em contrapartida, Manaus e Suape (PE) são os portos com maior potencial de receber carga por cabotagem, seguidos por Santos.