Publicidade
Cotidiano
Notícias

Treze estados serão beneficiados pela habilitação de novos agentes de saúde

A Estratégia da Saúde da Família é a principal meta do Ministério da Saúde para reorientar o modelo de atenção à saúde da população 26/12/2012 às 10:38
Show 1
Atualmente, o país conta com 33.434 mil Equipes de Saúde da Família implantadas em 5.298 municípios que cobrem 105,5 milhões de brasileiros
A Crítica.com Manaus, Am

Aproximadamente 13 estados brasileiros serão beneficiados com a habilitação por meio do Ministério da Saúde de 1.488 Equipes de Saúde da Família (ESF) e mais 9.261 agentes comunitários de saúde, entre eles os estados do Amapá, Ceará, Goiás, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, Mato Grosso, Pará, Minas Gerais, Pernambuco, Maranhão e São Paulo. O objetivo é ampliar o acesso da população á atenção básica- Saúde Mais Perto de Você, lançada no ano de 2011.

Atualmente, o país conta com 33.434 mil Equipes de Saúde da Família implantadas em 5.298 municípios que cobrem 105,5 milhões de brasileiros. São 5,5 milhões a mais de habitantes com acesso à saúde básica em relação a 2010, quando atuavam 31.660 equipes.

As equipes são multidisciplinares, formadas por médicos, enfermeiros, técnicos ou auxiliares de enfermagem e até 12 agentes que atuam junto às comunidades, desenvolvendo ações de promoção da saúde, prevenção de agravos, diagnóstico e tratamento, recuperação, reabilitação de doenças. Hoje, são 256.959 mil Agentes Comunitários de Saúde em todo Brasil. Os valores repassados aos municípios integram o Piso da Atenção Básica Variável (PABV), que prevê incentivo que varia de R$ 85,5 mil a R$ 128,3 mil por ESF, e R$ 10 mil por ACS, ao ano.

A Estratégia da Saúde da Família é a principal meta do Ministério da Saúde para reorientar o modelo de atenção à saúde da população, a partir da atenção primária, considerada a mais próxima da porta de entrada do Sistema Único de Saúde (SUS), além de ser capaz de resolver até 80% dos problemas de saúde das pessoas. A execução da estratégia é compartilhada entre o Ministério da Saúde com os Estados, Distrito Federal e Municípios.

Entre 2010 e 2012, houve crescimento dos recursos na Atenção Básica, passando de R$ 9,73 bilhões (2010) para R$ 13,36 bilhões (2012). Um incremento de 37%.