Publicidade
Cotidiano
Notícias

Trip linhas aéreas assume compromisso de transportar material biológico humano.

De acordo com o gerente regional de aeroportos da Trip, José Gomes Oliveira, será feito um comunicado oficial da companhia para todos os aeroportos do norte para resolver o problema. 03/03/2012 às 15:29
Show 1
A Trip alegou problema de comunicação e disse que não se nega a transportar material biológico humano.
Cimone Barros ---

A Trip Linha Aéreas prometeu transportar material biológico humano em seus voos regionais e interestaduais e se comprometeu a afixar, na próxima semana, cópias de um documento sobre os procedimentos do transporte de bolsas e amostras de sangue nos 13 aeródromos onde atua no Amazonas.

A medida deve ser adotada sob pena dos deputados Marcos Rotta (PMDB) e Marcelo Ramos (PSB), presidentes das comissões de Defesa do Consumidor e de Transporte, Trânsito e Mobilidade da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), respectivamente, pedirem a revogação dos incentivos fiscais concedidos à empresa.

O assunto foi discutido ontem em reunião na ALE, após os deputados tomarem conhecimento de que a Trip estaria se negando a transportar material biológico humano em suas aeronaves de Manaus para o interior do Estado e vice-versa. Segundo o diretor da Fundação de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas (Hemoam), Neson Freiji, o transporte é pago e respeita as normas de embalagem da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).  “Além dos postos da Trip, o informativo também deve ser distribuído nos aeródromos e nas unidades de saúde dos municípios”, disse Rotta. 

De acordo com Freji, o problema é antigo e já foi inclusive objeto de Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), firmado no Ministério Público do Estado (MPE), em 2008, com a Gol e a Trip. A primeira foi a única que cumpriu o TAC.

Além das atividades normais do Hemoam, a preocupação aumenta porque em dois meses o órgão dará início a uma nova tecnologia de controle de segurança do sangue, a melhor qualidade disponível no mundo, que são os testes moleculares. Com mais esse serviço, a demanda do órgão vai mais que triplicar. Manaus será um dos 14 centros do País e vai oferecer os exames - mais sensíveis e mais caros que os tradicionais - para o Amazonas, Acre Rondônia e Roraima.

Segundo o diretor, se esse material biológico não chegar no prazo, pode haver dano à vida, risco de morte e pode retardar ações que devem ser adotadas a hemoterapia e ao tratamento dos pacientes. “Se não resolvermos isso agora, vai ser um desastre essa rede que estamos montando de assistência e segurança transfusional”, disse Freiji, que prometeu acionar judicialmente a empresa se o "drama" voltar a se repetir.

A Trip alegou problema de comunicação e disse que não se nega a transportar material biológico humano. Conforme o gerente regional de aeroportos da Trip, José Gomes Oliveira, a questão era simples, era só levar o material e passar por cargas. Mas o que causou estranheza é que se a questão era simples, apenas de comunicação e de local do embarque dos transportes, porque em quatro anos a empresa nunca conseguiu resolver.

“Estavam (profissionais da saúde) acostumados a passar pelo balcão de check-in e acho que por esse motivo às vezes poderia ter acontecido entrave. Hoje não tem mais isso. Vamos passar o comunicado a todos os aeroportos do Norte”, afirmou oliveira, que impôs aos jornalistas imprensa responder apenas duas perguntas, porque estava sem assessoria de imprensa. 

Em 2009 a Trip obteve redução da alíquota do Imposto Sobre Circulação de Mercadoria e Serviço (ICMS) de 25% para 7%, através do decreto nº 29.263/2009, como contrapartida se comprometeu verbalmente com os parlamentares a melhorar a malha aérea e diminuir o preço das passagens.