Publicidade
Cotidiano
EM PARINTINS

UEA em Parintins sediará simpósio que vai discutir religiões, fronteiras e identidades

O I Simpósio Norte da Associação Brasileira de História das Religiões acontece do dia 29 de agosto até o dia 1° de setembro 22/08/2017 às 11:19
Show sdfsdsd
(Foto: Divulgação/Assessoria)
acritica.com Manaus (AM)

 A Universidade do Estado do Amazonas (UEA) sediará o I Simpósio Norte da Associação Brasileira de História das Religiões – Amazônia no plural: religiões, fronteiras e identidades. A programação é realizada em parceria com o Curso de História do Centro de Estudos Superiores de Parintins (CESP). O evento ocorrerá de 29 de agosto a 1º de setembro, no município de Parintins, e reunirá pesquisadores do Acre, Pará, Rondônia, Roraima, Amapá e Amazonas, além de pesquisadores de São Paulo e Santa Catarina.

O objetivo do evento é consolidar a regionalização da ABHR, bem como o Curso de História do CESP, favorecendo, pela primeira vez no Norte do Brasil, um encontro multidisciplinar na área dos estudos da religião. De acordo com a coordenação do Simpósio, a ideia é que o encontro promova uma articulação regional mais intensa para a produção de conhecimento sobre as dinâmicas do campo religioso na Região Norte, algo que deixe uma memória mais sólida sobre essa temática na Amazônia, já que, à exceção do Pará, outros estados da região não possuem Programas de Pós-Graduação e grupos de pesquisas voltados exclusivamente para essas temáticas. “Espero que isso cresça nos próximos anos e que possamos ter publicações, tanto em revistas quanto em livros, para que seja produzida uma memória mais consolidada sobre os estudos da religião no Norte”, disse o professor de História da UEA e coordenador do evento, Diego Omar. 

O professor ressaltou ainda que a Associação vem crescendo, que reúne mais de 300 associados e que é vinculada a Associação Internacional de História das Religião (IAHR). Segundo o professor, os estudos sobre religião na América Latina são muitos fortes e é preciso construir mais diálogos horizontais com os nossos países vizinhos, a despeito de nossas referências estarem muitas vezes na Europa e nos Estado Unidos.

“A programação é composta de duas conferências, nove mesas redondas, mais de 100 comunicações inscritas em Grupos de Trabalhos E também os minicursos, oficinas e atividades culturais. A expectativa é que, no conjunto, o evento reúna algo em torno de 150 exposições orais, frutos de trabalhos de iniciação científica, mestrado, doutorado e de projetos de pesquisa institucionais. “O evento será um retrato de como temos avançado e das temáticas que merecem um olhar mais cuidadoso dos estudiosos da religião, disse Omar.

 

*Com informações da assessoria de comunicação.