Publicidade
Cotidiano
EXPANSÃO

Ufam realiza audiência sobre implantação de campus em São Gabriel da Cachoeira

Engenharia Ambiental, Engenharia de Prospecção de Minérios e Turismo são alguns dos cursos pretendidos para o campus 08/11/2017 às 19:08
Show 07 11 2017 audincia so gabriel da cachoeira
Em reunião, gestores da Ufam e prefeito de São Gabriel da Cachoeira definiram data da audiência pública. Foto: Divulgação
acritica.com* Manaus (AM)

Uma audiência pública será realizada em São Gabriel da Cachoeira (a 856 quilômetros de Manaus, em linha reta) nos dias 30 de novembro e 1º de dezembro para discutir a implantação de um campus da Universidade Federal do Amazonas no município.

Em reunião realizada na terça-feira, 7 de novembro, na Pró-Reitoria de Extensão, o pró-reitor de Extensão, professor Bessa Freire, recebeu o prefeito de São Gabriel da Cachoeira, Clóvis Saldanha (PT) e o assessor jurídico, Adelson Gonçalves, ambos pertencentes à etnia Tariano, para agendar a audiência. “A Universidade estará lá para ouvir o que é melhor para o município, considerando o interesse da população local, que é majoritariamente indígena”, afirma o pró-reitor.

Dentre os cursos pretendidos para o futuro campus estão Engenharia Ambiental, Engenharia de Prospecção de Minérios, por conta da ocorrência de nióbio e granito na região, e Turismo, voltando-se para a cultura indígena. Porém, com base no tema da audiência, que é a construção do Campus e o desenvolvimento autossustentável da região, a população dará contribuições e elas devem ser consideradas para a elaboração do projeto final.

Há mais de duas décadas, a Universidade já buscava desenvolver, de modo sistemático, atividades de formação no município de São Gabriel da Cachoeira.

Números

De acordo com o IBGE, São Gabriel da Cachoeira tinha uma população estimada, em 2016, de 43.831 habitantes, distribuída numa área territorial de 109.181,240 km². Além disso, indígenas de 23 etnias habitam aquela região, que está dividida em sete territórios. Além do português, os idiomas Tukano, Nheengatu e Baniwa também são falados no município.

 

*Com informações da Assessoria