Publicidade
Cotidiano
Notícias

Um ano após morte de Bin Laden, EUA publicam documentos achados em esconderijo do terrorista

Às vésperas do aniversário da morte de Bin Laden em um ataque das forças especiais americanas, Brennan disse que os analistas da inteligência americana perceberam que a Al-Qaeda estava enfrentando problemas ao substituir seus líderes mortos em operações americanas 30/04/2012 às 13:36
Show 1
O líder da rede terrorista al-Qaeda, Osama Bin Laden
AFP ---

Os Estados Unidos planejam divulgar esta semana documentos apreendidos no esconderijo de Osama Bin Laden em que o líder do terrorismo reclamava de "desastres atrás de desastres" na Al-Qaeda.

"Nos documentos que apreendemos, (Bin Laden) falou de 'desastre atrás de desastre'," informou o principal assessor antiterrorismo da Casa Branca, John Brennan, ao anunciar que o material será publicado pelo Centro de Combate ao Terrorismo de West Point.

Às vésperas do aniversário da morte de Bin Laden em um ataque das forças especiais americanas, Brennan disse que os analistas da inteligência americana perceberam que a Al-Qaeda estava enfrentando problemas ao substituir seus líderes mortos em operações americanas.

A situação ficou tão ruim para o grupo que planejou os ataques do 11 de setembro, o ataque terrorista mais mortal na história americana, que Bin Laden considerou mudar o nome da organização.

"Perdendo seus líderes mais habilidosos e experientes tão rapidamente, a Al-Qaeda teve problemas para substituí-los", afirmou Brennan.

"Esta é uma das muitas conclusões que fomos capazes de tirar a partir dos documentos encontrados no complexo de Bin Laden", acrescentou.

Alguns desses documentos serão publicados on-line pela primeira vez esta semana.

"Por exemplo, Bin Laden se preocupou como - e eu cito - 'o aumento de líderes menores que não eram tão experientes e isso levaria a repetidos erros'", disse Brennan, de acordo com uma cópia de seu discurso no Woodrow Wilson International Center for Scholars.

Segundo ele, os documentos mostram que Bin Laden pediu aos líderes do movimento "para fugir para as regiões tribais do Paquistão e buscar refúgio em áreas livres de fotografias aéreas e bombardeios".

Ele acrescentou que a Al-Qaeda ainda estava lutando para preencher as principais lideranças sob o intenso ataque dos Estados Unidos.

"Sob intensa pressão nas regiões tribais do Paquistão, eles tinham menos lugares para treinar e formar a próxima geração de agentes".

"Eles estão lutando para atrair novos recrutas. A disposição é pouca, com a inteligência indicando que alguns membros estão desistindo e voltando para casa, sem dúvida, conscientes de que esta é uma luta que eles nunca vão vencer.

"Em resumo, Al-Qaeda estava perdendo feio. E Bin Laden sabia disso", concluiu.