Publicidade
Cotidiano
MEIO AMBIENTE

Verão amazônico castiga plantações feitas em canteiros centrais de várias vias públicas

Plantas estão morrendo pela falta do serviço de irrigação que deveria ser feito pela Semmas, dizem moradores 18/08/2017 às 20:35 - Atualizado em 19/08/2017 às 09:50
Show capturar
Pau-pretinho e Ipês sofrem e estão sem folhas e com caules ressecados (Foto: Gilson Melo)
Danilo Alves Manaus (AM)

Com as altas temperaturas e o ambiente seco deste verão Amazônico, as árvores plantadas nos canteiros centrais de Manaus estão sofrendo e perdendo a cobertura de folhas. Segundo moradores e comerciantes de áreas próximas onde se concentram essas plantações, o problema é causado não só por causa do calor e ausência de chuvas, mas também pela falta do serviço de irrigação  que deveria ser feito pela da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas). 

Na avenida Djalma Batista, bairro Chapada, Zona Centro-Sul, por exemplo, moradores denunciam que o órgão  não está cumprindo com o cronograma desse serviço, que conforme o advogado Bruno Protellato, 44, era para ser feito toda a semana. 

“Antes, a Semulsp fazia a limpeza das Ruas e a Semmas irrigação das árvores durante a madrugada, sempre por volta de 2h. Isso acontecia pelo menos uma vez por semana. Atualmente, nunca mais vimos esse serviço ser feito, por isso as plantas estão todas morrendo”, avalia Protellato.

As árvores das espécies Ipê e Pau-pretinho, algumas delas plantadas há apenas três anos pela Semmas  estão com folhas e caules bastante secos. 

“Existem várias árvores que já não possuem nem folhas. Está só a carcaça. Alguns vizinhos até tentam molhar algumas, mas não adianta poucos fazerem esse trabalho”, lamentou o advogado. 

Já na avenida Costa e Silva, bairro Crespo, Zona Sul,  as árvores também estão prestes a secar completamente. A espécie plantada por lá, segundo a Semmas também é o pau-pretinho. A paisagem seca chama atenção dos motoristas que passam pelo local. Líncoln Pedrosa Santos, 23, é industriário e passa pela Silves todos os dias da semana. Ele explicou que, durante essa época do ano, muitas plantas morrem em função da falta de irrigação. 

“Eu acredito que isso aconteça, por causa da falta de chuvas, mas também penso que o poder público tem sua parcela de culpa. É preciso pensar, desde a hora que a planta vai ser colocada ali, até mesmo os cuidados com a árvore”, comentou. 

O biólogo Caio Augusto Dos Santos explicou que o processo de diminuição hídrica, durante os meses de agosto, setembro e outubro, são um dos principais fatores que levam a morte de árvores no ambiente urbano de Manaus. Com o clima seco e falta de chuvas, é responsabilidade do órgão público promover a irrigação dessas plantações feitas nos canteiros centrais.