Publicidade
Cotidiano
Notícias

Vice-presidente de Comissão de Segurança pede explicações sobre as promoções dos praças

Parlamentar pede explicações dos pleitos da tropa e outros projetos ainda em aberto cujos prazos já estourados entre eles o Código de Disciplina e Ética, a Lei das Escalas de Serviço, o pagamento do Auxílio Alimentação e Moradia e a Lei do Porte de Arma 23/04/2015 às 16:11
Show 1
Platiny Soares
acritica.com ---

O vice-presidente da Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM), deputado Platiny Soares (PV), entregou na tarde desta quinta-feira (23) ao Secretário da Casa Civil, Raul Zaidan, um ofício solicitando informações oficiais do porquê não houve a publicação das promoções dos policiais e bombeiros militares conforme determina a Lei de Reestruturação da Carreira de Praças (Lei Nº 4004/2014), com data prevista para a última terça-feira (21).

No documento Platiny Soares pede explicações dos pleitos da tropa e outros projetos ainda em aberto cujos prazos já estourados entre eles o Código de Disciplina e Ética, a Lei das Escalas de Serviço, o pagamento do Auxílio Alimentação e Moradia e a Lei do Porte de Arma.

 “Todos esses pleitos já estão prontos em nosso gabinete em forma de Projeto de Lei e daremos entrada na tramitação deles na Assembleia Legislativa. As promoções já estão definidas em lei e deveriam ter ocorrido no dia 21 de abril e queremos uma posição do governo do motivo delas não terem ocorrido até o momento”, declarou Platiny Soares.

Integram ainda a lista de projetos para tramitação a Lei de isenção de impostos sobre compra de armas de fogo, a lei de ingresso de dependentes de militares nos colégios da PM, a lei de reserva de vagas para praças em Concurso de Oficiais e a readequação da Gratificação de Trabalho Extra (GTE).

“A tropa não esqueceu de nenhuma das demandas apresentadas e do compromisso do Governo do Estado de cumpri-las. É preciso ter diálogo para uma resolução em conjunto, mas é preciso ainda mais que os policiais e bombeiros militares tenham seus direitos respeitados”, disse Platiny Soares.

*Com informações da assessoria de comunicação.