Publicidade
Cotidiano
'INTERIOR SEGURO'

Mais de 20 assaltantes, pistoleiros e ‘piratas do rio’ são presos pela polícia em Coari

Segundo a polícia, o município de Coari sedia a maior parte dos “piratas”, que tomam drogas de traficantes e repassam para outros criminosos 24/11/2017 às 11:38 - Atualizado em 24/11/2017 às 11:56
Show img 20171124 wa0031
Foto: Reprodução
acritica.com Manaus (AM)

Até o momento, 23 ‘piratas do rio’, pistoleiros e pessoas suspeitas de assalto foram presas pela Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM) e pela Polícia Civil no município de Coari, a 362 quilômetros de Manaus, em mais uma fase da operação “Interior Seguro”, deflagrada na manhã desta sexta-feira (24).

A ação cumpriu 14 mandados de prisão e 19 de busca e apreensão, com foco no combate ao tráfico de drogas, os famosos “piratas do rio”, pistoleiros de aluguel, assaltantes, suspeitos de envolvimento em homicídios, roubos e furtos. Segundo a Polícia Civil, foram quatro meses de investigação e levantamento de informações para identificar os alvos. As detenções iniciaram por volta das 6h.


Foto: Divulgação

“Não é o início de operações no interior, porque já realizamos ações em outros municípios, mas é uma programação que está sendo realizada em todo o Estado para reestabelecer a ordem no Amazonas e trazer de volta a tranquilidade para a população”, disse o vice-governador e secretário de Segurança, Bosco Saraiva.

Ao todo, participaram dos trabalhos 30 agentes que chegaram em Coari na quarta-feira (22) e, desde ontem, montaram campana em locais de difícil acesso. Entre eles estão policiais da delegacia de Coari, do Grupo Força Especial de Resgate e Assalto (Fera), Departamento de Investigação sobre Narcóticos (Denarc), Departamento Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), Delegacia Fluvial (Deflu).


Foto: Divulgação

Segundo o delegado-geral da Polícia Civil Mariolino Brito, o município de Coari sedia a maior parte dos “piratas”, que tomam drogas dos traficantes e repassam para outros criminosos em Manaus. “Os delitos que ocorrem aqui são ligados ao tráfico de drogas, inclusive aliciando menores em razão da imputabilidade para serem soldados do tráfico, além da compra de armas clandestinas”, disse.

A ação também recebe a coordenação operacional do delegado-geral-adjunto, Antônio Chicre Neto, com o apoio operacional do delegado Mateus Imperatriz,  diretor do Departamento de Polícia do Interior (DPI), e do delegado José Afonso Barradas, da Delegacia Integrada de Polícia (DIP) de Coari.