Publicidade
Cotidiano
Notícias

Virgílio Viana participa de mesa redonda em Paris e cita investimentos da FAS no AM

Diretora do Centro Internacional de Pesquisas Florestais, uma das instituições mais respeitadas na área de florestas mundialmente, disse que a FAS tem um modelo de administração e de atuação junto às comunidades das unidades de conservação que seve como modelo no cenário internacional 06/12/2015 às 18:22
Show 1
Os chamados ‘objetivos do milênio’, conforme Viana, ainda estão em fase de construção e, em sua nova vigência, darão ênfase maior às questões ambientais
Antônio Ximenes França, Paris

A Fundação Amazonas Sustentável (FAS) recebeu R$ 20 milhões do Fundo Amazônia de 2010 a 2014. Esse valor foi investido na cadeia produtiva do Pirarucu, castanha, açaí e no fortalecimento das associações das unidades de conservação nas 16 unidades de conservação do Estado, onde a FAS atua.

"Esses recursos foram auditados pelo próprio BNDES e por outra auditoria independente, o que evidencia a transparência da nossa gestão", disse o superintendente geral da FAS, Virgílio Viana, que participou da mesa redonda sobre o Fundo Amazônia em Paris.

Amy Duchelle, diretora do Centro Internacional de Pesquisas Florestais (Cifor), uma das instituições mais respeitadas na área de florestas mundialmente, disse que a FAS tem um modelo de administração e de atuação junto às comunidades das unidades de conservação, que seve como modelo no cenário internacional." Nós temos uma experiência muito boa na unidade do Juma, em Novo Aripuanã", comentou.

Nesta unidade de conservação, dados publicados pelo Cifor apontam para uma redução de 12% do desmatamento, em comunidades dentro da RDS do Juma, em comparação com seu entorno. 

A coordenadora geral do Fundo Amazônia, Juliana Siqueira, disse que a experiência dos bons resultados da FAS é uma mostra que os recursos estão sendo bem empregados em grande escala. "Eu fui em áreas de atuação da FAS e vi o que está sendo feito de positivo, para quem vive nessas comunidades de floresta", salientou.