Publicidade
Entretenimento
Vida

A criação não para: confira o que vem por aí no audiovisual

Diretores e produtores do cinema amazonense apresentam suas mais recentes produções e projetos  24/02/2013 às 14:55
Show 1
“Aquário” vai ficar pronto entre março e abril. Curta foi rodado completamente na Central Técnica de Produção
rosiel mendonça ---

Cada vez mais, o audiovisual amazonense tem mostrado seu vigor por meio de projetos ambiciosos e de participações em eventos nacionais e até internacionais. Prova disso também são as novas produções, que não param de surgir. Os curtas “Histeria”, de Rummenigge Wilkens, “Aquário”, de Cristiane Garcia, e “Assim aqui”, de Keila Serruya, são exemplos de produções prestes a sair do forno.

Em espanhol, o perturbador “Histeria” é uma coprodução Lucidez Filmes/Meia Zero Dois e contou com um orçamento de R$ 800, tirados do próprio bolso de Wilkens. O enredo do curta, que tem no elenco principal Wander Luiz e a cubana Jessy Garcia, é inspirado numa história real com base na teoria freudiana de que a repressão sexual leva à histeria.

“A ideia surgiu em 2009, mas eu não tinha verba para iniciar a produção. No Amazonas Film Festival do ano passado, durante uma oficina de cinema digital, aproveitei para fazer uma decupagem do roteiro. Foi quando tudo começou a andar”, contou o diretor e roteirista, que teve que rodar o curta duas vezes porque o material do diretor de fotografia foi roubado.

A ideia é exibir o resultado ainda na primeira quinzena de março com uma estreia no Cine Teatro Guarany. Você pode conferir o trailer do curta lendo o QR code ao lado com a câmera do seu smartphone.

Suspense

Uma família é tomada de surpresa por uma fatalidade e passa a enfrentar um drama psicológico. Essa é a história por trás do curta “Aquário” (Olha Já Filmes), contemplado no Proarte 2011 e dirigido por Cristiane Garcia, com base em roteiro de Alexandre Santana. O resultado é um misto de suspense e sobrenatural. “Não se sabe se a loucura está na cabeça da mãe, do pai ou do filho, que não consegue processar a morte do irmão gêmeo”, revela Cristiane.

Segundo ela, depois do atraso inicial, devido a nenhum pai aceitar que o filho participasse da produção, o curta conseguiu ser rodado em quatro meses com um orçamento de R$ 10 mil. “Ambientamos todas as cenas na Central Técnica de Produção da Secretaria de Cultura, que funcionou como nosso Projac. Pudemos adequar todo o curta aos materiais e estruturas que a Central já possuía. É um lugar ótimo para fazer cinema”, comentou a diretora.

Travestismo em foco

“Assim aqui” é uma vídeo-instalação dirigida por Keila Serruya, fruto de um projeto desenvolvido dentro do Coletivo Difusão sobre travestismo e questões de gênero. Atualmente em fase de montagem e edição, o curta foi pensado para fazer parte de uma intervenção que deve ocorrer até o fim de março em vários pontos da cidade. Com orçamento de R$ 30 mil, a produção foi contemplada em um edital do MinC e conta com o apoio de nomes como Óscar Ramos, Yure César e Zeudi Souza.

“O vídeo mostra cenas cotidianas das personagens Linda (Patrícia Fonttine) e Flora (Nayla Bianca), como o trajeto de casa para o supermercado. É um trabalho com o objetivo de levar as pessoas à reflexão, para que elas sintam o quanto é difícil para os travestis se colocarem no patamar de uma pessoa comum”, resumiu a videomaker.