Publicidade
Entretenimento
Televisão crianças

A influência da televisão na formação das crianças

É bom ficar atento para o que o seu filho vê na tevê, o alerta é do Ministério da Justiça que está com uma campanha sobre o assunto 19/04/2012 às 11:19
Show 1
Você sabe o que seu filho assiste na TV?
Luana Ribeiro Manaus

Lucas Gabriel, 4 anos, é fã de televisão. Os desenhos animados preferidos do pequeno são Hot Wheels Battle Force 5, Backyardigans e Octonautas. “Ele fica horas alternando entre Cartoon Network, Discovery Kids e alguns DVDs”, diz o pai, o administrador Murilo Monteiro.

Assim como Lucas, outras milhares de crianças brasileiras entre quatro e 11 anos de idade passam, em média, quatro horas e 50 minutos por dia em frente à TV, segundo dados do Ibope. Com tanto tempo assistindo televisão, vem a polêmica questão: você sabe o que seu filho está assistindo?

Controle

O Ministério da Justiça está com a campanha “Não se engane”, com objetivo de alertar os pais sobre a influência que as obras audiovisuais podem ter na formação das crianças, e esclarecer dúvidas sobre a classificação indicativa como forma de selecionar os programas aos quais os filhos assistem.

A psicopedagoga Rosilene Maia chama atenção para os cuidados que os pais têm que ter com a programação que os filhos veem. “As crianças acabam tendo aquilo como referência, e tendem a repetir o que veem na televisão”, diz. “É natural que elas tenham curiosidade de assistir programas adultos proibidos pelos pais. Por isso tem que haver uma supervisão”, alerta.

O pai de Lucas Gabriel conta que controla de perto os horários e os canais que o menino assiste. “Por sorte, ele sabe o que pode e o que não pode ver. Por exemplo, na televisão eu gosto de assistir histórias de zumbis, como ‘The Walking Dead’ e ‘Resident Evil’, mas não permito que o Lucas assista. E ele entende isso”, afirma Murilo.

                   Lucas Gabriel tem o controle da televisão

Outro lado

Por causa do emprego dos pais, que trabalham em um hotel de selva, os irmãos Geo, 11, Kiana, 9, e Keno, 5, não tem o costume diário de ver televisão. “Eles assistem uma vez por semana, normalmente gostam de filmes como ‘O Senhor dos Anéis’ e outras animações, e sempre com a família toda unida. Quando dá, também vamos ao cinema, e eu controlo tudo, o que é bom e o que não é”, conta a mãe, a empresária Vanessa Mariño.

  Geo, Kiana e Keno não assistem televisão normalmente e não sentem falta


Vanessa acredita que a ausência da televisão na rotina ajudou no desenvolvimento dos filhos. Com tempo de sobra para se divertir com brincadeiras, ela diz que eles nem sentem falta da televisão. “Durante a manhã, eles fazem trabalhos manuais e à tarde ficam na Internet por uma ou duas horas”, afirma. “Desde que nasceram é assim. Quase nunca vemos televisão. Até evitamos. Muitas pessoas ficam impressionadas com o desenvolvimento intelectual deles e eu acredito que seja por não assistirem TV, assim eles não se distraem tanto”, diz.

Educação

 Apesar de toda a polêmica em torno da programação para crianças, Murilo Monteiro acredita que a televisão tem um lado educativo. “Tem muitos desenhos que tem esse papel. Dia desses o Lucas me surpreendeu falando de bactérias, paramécios e ameba. Foi uma surpresa muito bacana. Pela TV, ele também aprendeu o nome das espécies de dinossauros”, diz.

 A psicopedagoga Rosilene Maia aconselha os pais a ensinarem os filhos a optar por programas educativos, sem esquecer que é importante impor limites e horários. “Um bom filme, uma boa programação não faz mal. É claro que não dá para a criança ficar horas e horas em frente à TV. Por mais que seja educativo, a criança corre o risco de ficar sedentária”, diz. “Em todo caso, sempre aconselho que os pais levem os filhos para passear de vez em quando, para se divertir e brincar, que é o que toda criança deve fazer”.