Publicidade
Entretenimento
Doença renal

A silenciosa doença renal

Médicos alertam para doença que não dá sinal e acomete em maior número pessoas hipertensas ou diabeticas 30/07/2012 às 11:57
Show 1
Médico Valquir Santos alerta para a importância do trabalho de prevenção da doença renal. É preciso evitar a diálise
Felipe de Paula Manaus

Pelo menos um quinto da população brasileira tem diabetes ou hipertensão. Tais doenças não costumam apresentar sintomas nos primeiros anos de acometimento, podendo
já estar em níveis bem avançados quando eles começam a aparecer. A insuficiência renal, que quase sempre é consequência das duas doenças acima mencionadas, também é tão silenciosa quanto elas e quase sempre irreversível.

“O rim não dói, porque quase não tem nervação. Tem pacientes que já chegam em estágio terminal”, lamenta o nefrologista amazonense Valquir Santos, alertando que a doença crônica renal, além de ser irreversível, não tem tratamento. “As opções são diálise ou transplante”, afirma.

Para ele, os exames que identificam a capacidade do rim de filtrar o sangue deveriam constar sempre na lista de exames do cidadão brasileiro. “Uréia, creatinina e exame de urina deveriam ser introduzidos na cultura da população”, diz ele, que também alerta para automedicação. “O uso crônico de drogas (remédios), principalmente as anti-inflamatórias, são muito ruins para o rim. Tem paciente que toma Cataflan como se fosse água”, aponta.

Novos casos

Para o Dr. Elias David-Neto, responsável pelo serviço de transplante de rim do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo e coordenador do Centro de Nefrologia do Hospital Sírio-Libanês, é a primeira vez no mundo que se detectam tantos novos casos de doença crônica renal no mundo. “São 500 casos novos por milhão de habitantes/ano. Desses 500, cerca de 200 chegam a diálise”, afirma o especialista, alertando para o fato de prevenir a doença antes de chegar nesse estágio. Ele reconhece que se trata de uma epidemia.

Segundo Paulo Luconi, presidente da Associação Brasileira de Clínicas de Diálise e Transplante, 50 mil pessoas morreram nos últimos anos por falta de acesso ao tratamento (diálise) e a prevenção é a melhor saída. “Alimentação saudável e atividade física são importantes meios de prevenção”.

Nos últimos 10 anos, houve o aumento de 115% de pacientes que descobriram ter a doença;

Pacientes com diabetes e hipertensão tendem a desenvolver a doença renal crônica;

Nos últimos 10 anos, houve o aumento de 115% de pacientes que descobriram ter a doença;

A doença renal crônica é irreversível;

Os exames de Creatinina e Ureia devem ser feitos regularmente. Consulte seu
médico ;

Os pacientes acometidos pela doença são dependentes de terapias e até do transplante de rins;

O serviço de diálise é oferecido pelo Sistema único de Saúde (SUS), em hospitais ou clínicas credenciadas, e em clínicas privadas;

 Além da hemodiálise tradicional há outras opções de tratamento, que oferecem maior comodidade e bem-estar aos pacientes, como a diálise peritoneal, realizada em casa, pelo próprio paciente.