Publicidade
Entretenimento
CINEMA

'Amazon Obhijaan - The Land of Gold': conheça o filme indiano gravado em Manaus

Na história, o personagem Shankar Roy Chowdury decide desbravar a Amazônia com o objetivo de desvendar lendas como a do “Eldorado”, “Mapinguari” e as “Virgens do Sol” 11/02/2018 às 11:34 - Atualizado em 11/02/2018 às 14:37
Alexandre Pequeno Manaus (AM)

A floresta amazônica inspira a produção de conteúdo há décadas. O ambiente mítico, feras selvagens e paisagens exuberantes já serviram de cenário para livros, séries e filmes nacionais e internacionais. A força da mitologia amazônica, com suas lendas e mitos se une a essa atmosfera, criando um ar de mistério e encantamento. A nova produção ambientada na Amazônia é o longa indiano “Amazon Obhijaan – The Land of Gold” (A Terra do Ouro), cuja estreia mundial ocorreu em 22 de dezembro de 2017.

Baseado numa novela intitulada “Sonamtir Desh” (The Land of Gold), o filme é a segunda parte de uma trilogia. A primeira foi realizada na África. Na história, o personagem Shankar Roy Chowdury decide desbravar a Amazônia com o objetivo de desvendar lendas como a do “Eldorado”, “Mapinguari” e as “Virgens do Sol”, além de sair em busca do ouro da cidade perdida.

A história acontece em um período anterior à Primeira Guerra Mundial, 1914, em que o jovem indiano precisa enfrentar diversos obstáculos, que envolvem desde a luta com animais selvagens, abismos e cachoeiras da floresta até a fuga de caçadores armados.

Outras personagens retratadas no romance são Marco Florian, um velho aventureiro italiano em busca de Eldorado, e sua filha Anna Florian, antropóloga. Anna, filha do principal concorrente de Shankar, vive um romance com o protagonista da história e terá que decidir entre viver uma história de amor ou seguir em frente na busca pelo ouro.

Gravação local

Em Manaus, a aventura é mostrada durante o auge do ciclo da borracha e nesse cenário a produção buscou locações como o Centro Cultural Palácio Rio Negro, Teatro Amazonas e Museu Seringal Vila Paraíso para a ambientação do filme. 

A Secretaria de Estado de Cultura, através da Amazonas Film Commission, setor responsável pelo acompanhamento e apoio às produções cinematográficas no Estado, atendeu a esta produção com carta de apoio institucional e cessão de espaço para as locações do filme.

Produção executiva

No Brasil, a produção executiva ficou por conta de Chicão Fill e Andrez Castilhos, sócios da Amazon Film e BrazilFilms, de Los Angeles, que fornece serviços de produções e filmagens nacionais e internacionais, além de produzir eventos culturais. A produtora já viabilizou produções internacionais da Discovery Channel, BBC de Londres e National Geographic.

“Procuramos filmar no verão, mês de julho e o diretor Kamaleshwar Mukherjee adorou as locações. Tudo foi feito a partir de uma pesquisa rigorosa, estudando roteiro e adequando as locações. É uma produção que conseguiu trazer muitos benefícios ao Amazonas, envolvendo mão de obra local. Foi uma produção que gerou renda”, ressalta Fill.

De acordo com o produtor, mais de cem pessoas, entre figuração e técnicos, participaram da produção do filme. Ele diz que a expectativa é que o filme seja exibido no País ainda este ano. “Na Índia, a expectativa é que o longa seja visto por mais de 150 milhões de pessoas. É um número grandioso”, conta ele.

Os produtores aguardam um incentivo local que viabilize a exibição do filme por aqui. “Manaus é uma cidade preparada. Esperamos um apoio do Governo para lançar o filme no Brasil”, acrescenta.

Sinopse

A história se passa no período anterior à Guerra Mundial: 1914. É uma historia de aventura do jovem chamado Shankar nas profundezas da Floresta Amazônica, em busca dos mistérios do “Eldorado”, “Mapinguari” e “As Virgens do Sol”. Fatos e ficção são misturados na narrativa. A aventura começa exatamente após a visita do presidente Theodore Roosevelt – e seu encontro com o Marechal Rondon. 
 

Publicidade
Publicidade