Publicidade
Entretenimento
Vida

Amazonas deve bater a marca de 840 mil turistas em 2012

O fluxo de turistas no Amazonas no primeiro semestre teve um aumento de 12% em relação ao ano de 2011. Se for mantido o mesmo ritmo, até o fim de 2012, 840 mil turistas irão passar pela região. 27/09/2012 às 21:21
Show 1
Volume de turistas aumentou no Amazonas
acritica.com Manaus (AM)

No Dia Mundial do Turismo, comemorado em 27 de setembro, o Amazonas festeja também o fluxo de turistas que já passaram pelo Estado nos seis primeiros meses de 2012. De acordo com a Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur), mais 390 mil turistas, entre nacionais e estrangeiros, já passaram pelo Estado, o que representa um aumento de 12% em relação a 2011, quando foi registrado pouco mais de 340 mil.

Se o crescimento for mantido, conforme projeções do Órgão Oficial de Turismo, o Amazonas vai bater a marca de 840 mil turistas em 2012. No ano passado o fluxo geral foi de 755.058 turistas. Os meses que foram destaques no fluxo do primeiro semestre foram fevereiro e junho, que, se comparados aos mesmos meses de 2011, o registro foi de pelo menos 11 mil turistas a mais em cada um dos meses.

De acordo com a presidente da Amazonastur, Oreni Braga, esses números devem ser comemorados, mas também servem como alerta. “O Amazonas é o destino da moda entre os brasileiros e estrangeiros e isso estamos percebendo com o aumento do fluxo. O governador Omar Aziz reconhece no turismo um setor forte e, por isso, vem apoiando e estimulando as ações que beneficiam o crescimento do setor, o qual emprega um número aproximado de 60 mil profissionais”.

Oreni Braga disse também que nenhum destino é preparado turisticamente do dia para noite, pois essa preparação demora pelo fato de requer muita atenção dos administradores públicos. “O turismo impacta, economicamente mais de 50 setores e, transversalmente, depende de forma contundente da infraestrutura básica (energia, água tradada, internet, urbanização, saneamento básico, tratamento do lixo e mobilidade urbana), do acesso (estradas, portos, aeroportos, ferrovias e hidrovias sinalizadas), da segurança pública, da saúde e da educação e é, por isso, que este mercado é visto futuramente como um dos setores que vai mais gerar emprego, principalmente aqui em nossa região que já tem um apelo natural muito forte”, completou.