Publicidade
Entretenimento
Vida

Amazonas estará presente no Salão de Outono da América Latina

Evento que reunirá 174 artistas de 29 nacionalidades em São Paulo contará com dois representantes locais 29/04/2015 às 22:02
Show 1
Sidgrafite GTS mostra seu trabalho em arte gráfica
Loyana Camelo ---

Em meio a 174 nomes de 29 nacionalidades diferentes, dois irão representar o Amazonas durante o Salão de Outono da América Latina, marcado para iniciar no próximo dia 7, em São Paulo. Em sua terceira edição, o evento tem por objetivo abrir as portas para artistas emergentes ou ainda pouco conhecidos, fomentando, automaticamente, um grande intercâmbio cultural entre os selecionados. Na ocasião, estarão expostos trabalhos de pintura, fotografia, escultura, instalação, performance, vídeo, street-art, livro de artista e artes gráficas.

Do lado de cá, os grafiteiros Flavio Tial e Sidgrafite GTS mal podem esperar para vivenciar a experiência. Eles levam consigo a responsabilidade de lá divulgar a arte feita no Amazonas, ilustrada por meio de um painel que cada um terá de produzir para exibir durante a vernissage de abertura. 

Tial, focado na área da street art, diz que deseja englobar elementos de sustentabilidade na obra a ser apresentada na ocasião. Ele já aplica esse conceito diariamente em seu trabalho, reaproveitando materiais que encontra na rua.  Tial é baiano, mas mora em Manaus há quase um ano e meio, e explica que em sua cidade natal (Salvador) o grafite é bem mais liberado do que capital baré - motivo este pelo qual ele considera de suma importância sua participação no Salão representando o Amazonas.

“Eu fiz a opção de fiz morar aqui [em Manaus] para fortalecer a cena local do street art principalmente porque o Norte  é  taxado de não ter tanta visibilidade em intervenções [artísticas] como as outras regiões. É fácil você chegar em um local e dar continuidade a um trabalho. O difícil é chegar em uma cidade que não tem tanto disso e buscar desenvolver”, opina o artista, que também é engajado em projetos sociais para divulgar o grafite.

Arte gráfica

Já Sidgrafite, outro nome que vai representar o Amazonas no Salão de Outono da América Latina, é do nicho da arte gráfica. O artista é paulista e mora em Manaus há 10 anos. Ele se diz encantado com a paisagem amazônica que o rodeia, porém, na obra que terá de produzir para o evento, prefere não retratá-la de maneira usual.

“Nós que moramos em Manaus temos a oportunidade de ver uma paisagem linda todos os dias. Mas a forma como ela é retratada não tem muito a ver com as suas causas sociais. Tem tanta coisa feia acontecendo... eu prefiro mostrar isso. Eu gosto do social”, conta o artista. A ideia de Sidgrafite é fazer um painel em tom de denúncia, inserindo um personagem no contexto Amazônico.

A expectativa para participar de um evento suntuoso como este para o qual foi selecionado é grande. O artista, porém, ainda não possui as passagens aéreas, essenciais não apenas para concretizar o sonho de participar do Salão, como também o de fazer algo a mais após o seu retorno. “Eu não penso tanto na ida, penso mesmo é na volta, porque quero iniciar em Manaus um projeto social de arte com as crianças. Ele ficou paralisado por conta de recurso. Acredito que o Salão pode dar uma visibilidade importante para o meu trabalho”, diz.