Publicidade
Entretenimento
HOMENAGEM

Amazonense faz grafite em homenagem a filha de Bruno Gagliasso, vítima de racismo

A criança é retratada de uma forma carinhosa ao lado da frase: “Você é linda. O mundo que é feio!”, em um muro de uma casa do bairro Redenção, na Zona Centro-Oeste de Manaus 06/12/2017 às 17:15 - Atualizado em 07/12/2017 às 10:13
Amanda Guimarães Manaus (AM)

Um grafite que representa o respeito. É assim que o artista amazonense, Sérgio de Pinho da Silva, conhecido como “Ude”, descreve a homenagem que fez para a Titi, de 4 anos, vítima de ataques de cunho racista na semana passada e filha do casal de atores Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank. A obra pode ser conferida no bairro Redenção, na Zona Centro-Oeste de Manaus. A criança é retratada de uma forma carinhosa ao lado da frase: “Você é linda. O mundo que é feio!”

O grafiteiro "produziu" a Titi em um muro de uma casa na Rua Iguatu. Ele conta que ficou olhando a foto da criança ao lado do pai durante dois dias para conhecer cada característica dela e conseguir desenhar um material realista.

"Acompanhei a polêmica envolvendo a Titi. Uma mulher utilizou as redes sociais para discriminar ela. Vi uma foto nas redes sociais do Bruno e resolvi fazer essa homenagem. Fiquei dois dias olhando a foto. A arte foi feita com tinta spray e me deu um certo trabalho, porque esse material tem uma pressão muito forte", comentou o grafiteiro.


Foto: Reprodução/Instagram

O artista afirma que ficou surpreso com a repercussão do grafite dele nas redes sociais, pois produziu a obra apenas com a intenção de homenagear a criança e protestar contra o preconceito no Brasil. "Eu não esperava essa repercussão toda. Quando imaginei em desenhar a Titi, pensei que ia ser apenas um grafite comum. Mas assim que postei nas minhas redes sociais, as pessoas começaram a compartilhar, comentar e marcar os pais da criança", lembra.

A arte da Titi foi feita em menos de 24 horas pelo grafiteiro que atua na área há mais de 17 anos. "Depois de pensar em desenhar a Titi, precisei encontrar o muro. Decidi falar com o meu amigo para que ele liberasse o muro da sua casa. Ele aceitou e fiquei preparando o local durante uma semana. Trabalho com o grafite há 17 anos, produzi vários materiais pela cidade inteira, mas esse é o mais famoso que já fiz", disse, aos risos.

Contra a discriminação

Sérgio também relata que não pensou em se manifestar sobre o ataque sofrido pela Titi nas redes sociais, mas sim pela arte. "Quando soube desse caso fiquei muito comovido e chateado. Não queria me manifestar fazendo textões no Facebook, mas queria protestar utilizando a arte. Foi muito legal a minha decisão. Todo grafiteiro pode fazer uma arte assim", destacou.

Falando sobre preconceito, o artista conta que escolheu a frase utilizada na homenagem: “Você é linda. O mundo que é feio!”, com o objetivo de chamar atenção da sociedade para a discriminação. "Sofro preconceito por ser grafiteiro. As pessoas confundem a minha arte com a pichação. Li essa frase nas redes sociais e falou muito comigo. O mundo é feio, porque discriminam as pessoas. Mas o grafite é contra a todos esses sentimentos ruins", ressalta.

Dono do muro

Amigo de infância de “Ude”, o artista plástico, Luiz Alberto da Silva, de 33 anos, comentou que autorizou que Sérgio desenhasse a criança no muro da sua casa para combater o preconceito. "Eu e o Sérgio somos amigos de infância. Já grafitei durante alguns anos, mas decidi seguir outros caminhos. Mas umas semanas atrás ele me ligou e disse o que pretendia fazer. Decidi autorizar e ficar acompanhando o trabalho dele, porque isso representa que a luta contra o preconceito continua viva", comentou.

Ainda Luiz releva que tem se assustado com a repercussão que o desenho tem ocasionado em Manaus e no Brasil inteiro. "Até agora estou assustado. Às vezes estou trabalhando e as pessoas passam e perguntam quem desenhou, fazem foto e pedem o contato de Luiz. Até a própria mãe da criança já comentou da arte das redes sociais. Fizemos sem intenção nenhuma", concluiu. 

Publicidade
Publicidade