Publicidade
Entretenimento
Vida

Amor de carnaval: casais se conheceram na folia e estão juntos anos depois

Conheça a história de casais que se apaixonaram num carnaval e estão juntos muitos anos depois 25/02/2012 às 18:04
Show 1
O músico Evaldo Jr. e a assistente comercial Rogele Fátima se conheceram na famosa “Banda da Bica”, há quatro anos, e desde então estão juntos
felipe de paula Manaus

O Carnaval acabou. Os confetes e serpentinas já foram recolhidos das ruas, e os foliões já retomaram sua rotina de trabalho e estudo. Mas para algumas pessoas, a alegria proporcionada nesse breve e eufórico período do ano pode ser estendida: é que, no meio da multidão de brincantes da festa mais popular do Brasil, eles encontraram ninguém mais ninguém menos que o amor de suas vidas.

Foi exatamente essa experiência que viveu o casal Evaldo e Rogele em 2008. Eles se conheceram durante uma banda de Carnaval da cidade e começaram a namorar exatamente numa terça-feira gorda.

“Nos conhecemos no dia 28 de janeiro, na Banda da Bica. No dia 3 de fevereiro, numa terça-feira de Carnaval, estávamos namorando”, conta Rogele, para quem o Carnaval é uma época de diversão, mas onde tudo pode acontecer. “E geralmente é inesperado”, adverte.

Evaldo, por sua vez, acredita que “o destino é mais forte que tudo” e que, se o encontro não tivesse acontecido numa banda de Carnaval, poderia acontecer em qualquer outro lugar. Ele admite, apesar de lembrar do dia da semana em que se conheceram, não ser muito atento a datas, mas sai com uma boa justificativa: “é que todos os dias com ela são especiais!”.

Hoje em dia, os dois ainda frequentam as festas de Carnaval, mas preferem ambientes mais reservados e são uníssonos em dizer o que mais gostam no período mais alegre do ano: as tradicionais marchinhas e sambas-enredo, que os dois curtiram juntos esse ano num clube tradicional da cidade.

Já com frutos
Outro casal que tem um motivo especial para celebrar essa festa são os pombinhos Paola Nunes e Diego Sena. Paola conta que os dois já se conheciam, pois estudavam na mesma escola, mas o cupido decidiu usar sua flecha justamente numa banda de Carnaval.

O clima era propício e a situação não podia ser mais adequada. Sete anos depois, o que começou com uma “amizade colorida” se transformou num amor cada vez maior, ainda mais com a chegada dos filhos: hoje, casados, o casal tem dois meninos, Sahel de 4 anos, e Nicolas, de 3 meses.

Paola conta que eles comemoram o dia 10 de março como data de início do namoro, mas que o Carnaval é sempre uma época nostálgica para eles. Diego concorda: “Hoje nosso Carnaval é só nostalgia, pois já temos filhos para criar. Mas, quem sabe, quando eles crescerem podemos voltar um pouco ao tempo da folia”, brinca.

Para ela, o segredo de uma relação duradoura reside na paciência, compreensão e admiração entre o casal. “O importante é deixar as coisas acontecerem no seu tempo”, aconselha. É, parece que o ditado que diz “namoro de praia não sobe serra” há tempos já caiu do penhasco!