Publicidade
Entretenimento
animais e bebês

Animais de estimação podem diminuir chances de bebês adoecerem, diz estudo

Pesquisa aponta que convivência de crianças com animais pode trazer benefícios para a saúde dos pequenos 19/07/2012 às 11:01
Show 1
Convivência de crianças com animais de estimação faz bem à saúde dos pequenos, aponta estudo
Do UOL em São Paulo ---

Além de alegrar e divertir a vida do bebê, animais podem ser grandes amigos também da saúde da criança. Segundo uma pesquisa publicada na revista "Pediatrics", crianças que crescem com gatos e cachorros em casa têm maiores chances de terem menos infecções respiratórias durante o primeiro ano de vida.

A pesquisa, conduzida na Finlândia, acompanhou 397 crianças desde a gestação até completarem um ano de idade. Foi notado que os bebês que possuíam gatos ou cachorros passaram menos tempo com infecções de ouvido, tosse ou nariz entupido: 31% deles tiveram menos infecções e sintomas de problemas respiratório e 44% tiveram menos infecções de ouvido e receberam 29% menos receitas de antibióticos.

Segundo o estudo, um dos fatores da contribuição desses animais para a saúde do bebê é o fortalecimento do sistema imunológico da criança, que ainda é fraco e em desenvolvimento durante o primeiro ano de vida. Como os cães ou gatos podem levar sujeira e germes para dentro da casa, isso faz com que gere um amadurecimento ainda mais rápido do sistema imunológico, melhorando as defesas contra vírus e bactérias do ambiente.

Com base nas anotações dos pais participantes do estudo, os pesquisadores notaram que as crianças sem contato com um cachorro, por exemplo, eram 65% do tempo saudáveis, enquanto aquelas que tinham maior contato com o animal estavam 76% do tempo sem doenças.

No entanto, mesmo com os aparentes benefícios trazidos pelos animais, há limites. O estudou também apurou que crianças que passam menos de seis horas diárias com um cachorro têm menos chances de adoecerem em relação as que possuem contato direto com o animal.