Publicidade
Entretenimento
Sapos trabalho

Aprenda a reconhecer hora de ' engolir sapos' e momento certo de expôr sua opinião no trabalho

Especialista aponta bom-senso para identificar momento certo de aceitar situações e o de dar sua opinião de forma correta 21/05/2012 às 12:46
Show 1
Aprender a aceitar críticas e a também defender suas ideias pode eliminar desconforto no ambiente de trabalho
Simone Cunha, do UOL ---

Bom-senso é a palavra-chave se você não quer passar a vida engolindo sapos ou vivendo em crise com o seu chefe no ambiente de trabalho. “Isso não significa, necessariamente, aceitar tudo de forma passiva", diz o educador Celso Estrella, diretor da CriaCorp Desenvolvimento Empresarial. "Mas é importante absorver tais situações para buscar se aprimorar e evitar problemas”. 

Como expor sua opinião
O líder nem sempre é o dono da razão e suas decisões podem, muitas vezes, levar a equipe ao erro. Neste momento, divergir é permitido. “Para isso, é fundamental ter argumentos irrefutáveis para comprovar que sua ideia pode ser melhor do que a sugerida pelo chefe, além de oferecer menos problemas para gerenciar ao longo do processo”, afirma a psicóloga Inês Cozzo Olivares, diretora e sócia-fundadora da T'AI Consultoria.

No momento de expor sua opinião, vale a dica: o tom da comunicação deve ser suave e de conciliação. Ainda assim, o gestor pode não aceitar o seu argumento e, nesse caso, não vale insistir. “Bater o pé não vai levar a nada produtivo, sem contar que o gestor tem o poder de te demitir”, afirma Mari Cordeiro, diretora executiva da M&S. Para ela, nada é mais castrador em uma empresa do que um gestor que não abre espaço para o diálogo e não respeita as pessoas. Porém, isso ainda acontece e é preciso ter jogo de cintura para não ser prejudicado por uma opinião. Cabe ao funcionário respeitar a hierarquia estabelecida pela empresa e atender com eficácia às solicitações do gestor do seu setor de trabalho. “A única exceção diz respeito aos casos em que a ética e os valores da empresa correm risco de serem desrespeitados”, afirma Celso Estrella. Para ele, em um caso como esse, a tarefa deve ser rejeitada com diplomacia.

Quando engolir sapos vira um tiro no pé
Não é fácil ir contra a opinião daquele que detém o poder. Porém, acostumar-se com a situação de sempre realizar tarefas frustrantes, aceitar levar uma bronca injusta e nunca opinar pode ser um tiro no pé de quem almeja a ascensão profissional. “Aquele que sempre engole sapos tende a se considerar uma vítima”, afirma Inês. E isso pode lhe causar um enorme estresse, comprometendo sua saúde física, mental, emocional e psicológica. “Tais fatores podem levar ao comprometimento de resultados do negócio”, diz a psicóloga.

As atitudes de um funcionário que sempre aceita tudo e não expõe ou contesta ideias podem ser encaradas como falta de interesse. “O máximo que ele acaba conseguindo é se manter na posição atual, correndo um grande risco de ser dispensado”, diz Estrella. A psicóloga Mari Cordeiro acredita que os sapos nunca são engolidos totalmente. “Em algum momento, a coisa explode e os sapos são expelidos de alguma maneira. Dizendo o que deveria, mas da forma que não deveria”, diz ela. Ou seja, explodir ou implodir as emoções não é saudável. “O mais adequado é conversar com tranquilidade e tentar uma negociação”, afirma Mari.