Publicidade
Entretenimento
Vida

Artesanato de 16 países será exposto em evento no Amazonas

A Feira de Artesanato Mundial (FAM), que está pela primeira vez em Manaus, visa, além de criar um canal de exibição de produtos feitos com matéria-prima regional, gerar oportunidades de renda para a população urbana e rural do Estado 27/08/2012 às 21:11
Show 1
Mescladas à mostra das confecções artesanais, haverá mesas-redondas sobre comercialização do artesanato, produção, embalagem, design e distribuição
acritica.com Manaus, AM

No período de 6 a 16 de setembro, a cidade de Manaus sediará a 7ª edição da Feira de Artesanato Mundial (FAM), promovida pela Secretaria de Estado do Trabalho do Amazonas (SETRAB-AM). O projeto, além de criar um canal de exibição de produtos feitos com matéria-prima regional, visa gerar oportunidades de renda para a população urbana e rural do Amazonas, incluindo a categoria de extrativistas, indígenas e ribeirinhos. A FAM ocorrerá no Manaus Plaza Shopping (Av. Djalma Batista, Parque Dez de Novembro) nos dias da semana de 16h às 22h, e nos finais de semana e feriados, das 11h às 22h.

A FAM, que está pela primeira vez em Manaus, reunirá 16 países com participação ativa em produção manual, como Peru, Colômbia, Filipinas, Síria, Líbia, Índia, Paquistão, Turquia, Marrocos, Rússia, Bolívia, Tailândia e Vietnã.

Os municípios amazonenses confirmados nesta edição da Feira de Artesanato Mundial, são Barreirinha, Parintins, Manacapuru, Benjamim Constant, Maués e Santa Isabel do Rio Negro.

No Brasil, 15 Estados confirmaram presença na Feira de Artesanato Mundial, no Amazonas. Entre estes estão Rio Grande do Norte, Tocantins, Minas Gerais, Pará, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Santa Catarina, Piauí, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Paraná e São Paulo. Segundo informações da SETRAB, a Feira será uma indústria de negócios entre Brasil e Mundo, possibilitando a geração de renda pela oportunidade de trabalho contínuo e com lucratividade satisfatória através da confecção de artesanatos.

Para o Secretário Executivo da SETRAB, Paulo Junior, o Amazonas abre a mais importante porta de atividade paralela ao Pólo Industrial de Manaus. Ele acredita que produtos com ‘marca Amazonas’ podem atender a demanda nacional e internacional.

Pólo de artesanato

O executivo da empresa Charph Eventos - promotora da Feira de Artesanato do Amazonas -, Charlton Gallisa, avaliou a importância da edição local a partir da diversidade, e da interação de outros países e Estados brasileiros, o que dinamizará a atividade.


“O Amazonas passará a ser um grande pólo de artesanato porque tem potencial para isso, com o uso da madeira, de cipós abundantes na floresta, de sementes, de argila e de raízes que serão beneficiados como numa grande indústria de transformação, em peças valiosas pela arte que é o gene da população ribeirinha e indígena, mantendo a cultura e suas origens. Teremos uma usina de produção como laboratório para o Amazonas aprender mais e tornar-se, na essência, um grande pólo de produção”, pontuou Gallisa.  

Programação

Mescladas à mostra das confecções artesanais, haverá mesas-redondas sobre comercialização do artesanato, produção, embalagem, design e distribuição, com técnicos internacionais. Atrações musicais e culturais também estão previstas para a feira.

Os artesãos que irão exibir seus produtos pertencem ao Programa de Artesanato Amazonense e à Central de Artesanato Branco e Silva. Haverá desfiles de roupas artesanais e biojoias, e cursos de capacitação sobre artesanato, que terão o apoio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

Membros do movimento Economia Solidária, que trabalha com artesanatos, confecções, biojoias, reciclagem, alimentação, agricultura familiar e cultura provenientes de pessoas de baixa renda, também irão participar da exposição.