Publicidade
Entretenimento
Vida

Artista paraense retrata uma Amazônia estilizada em mostra com pinceladas digitais

Suzana Pires inaugura na capital a exposição 'Amazônia Virtual', cuja vernissage acontece nesta quinta-feira (10), na Livraria Saraiva do Manauara Shopping 09/07/2014 às 10:17
Show 1
Suzana Pires já ganhou quatro prêmios em sua carreira
Laynna Feitoza ---

As imagens de cunho amazônico estilizadas por traços digitais talvez sejam o principal subsídio do acervo da artista plástica Suzana Pires. Aos 48 anos e com 29 anos de carreira, a artista, graduada em Artes Plásticas pela Universidade Federal do Pará (UFPA) inaugura em Manaus a exposição “Amazônia Virtual”, cuja vernissage acontece amanhã, a partir das 19h, na Livraria Saraiva do Manauara Shopping (Espaço Thiago de Mello). A mostra fica em cartaz no local a partir desta sexta-feira até 28 de julho, no horário comercial do local. A entrada é franca.

Ao todo, nove trabalhos nos mais variados tamanhos (entre 30x30cm e 1x1 metro) evidenciam a técnica utilizada por Suzana, que põe em voga as luzes, sombras e cores vibrantes da região. Chamada de “pintura digital”, o método consiste na manipulação fotográfica através de técnicas do design gráfico. Ela explica que os efeitos são produzidos no computador e levados à impressão em giclée, capaz de imprimir obra nos mais diversos materiais – a exemplo da tela – à jatos de tinta de alta definição. “Essa técnica se tornou inovadora na arte de digitalizar”, pondera Suzana.

Sobre o uso do método, Pires pontua que a imagem deixa de ser uma simples fotografia, cujo resultado final remete lembranças ao realismo e surrealismo – mas sem assumir os gêneros em seu conteúdo. “Como este trabalho é feito no computador, é possível modificar a textura e as cores, incluindo até alguns traços, de modo a intensificar e enfraquecer uns e outros”, completa ela.

E os temas a darem vida aos traços digitais da mostra são fragmentos paisagísticos da Amazônia, traduzidos em símbolos como a floresta, o rio, a casa dos ribeirinhos e a vitória-régia. Todas as imagens estilizadas foram clicadas pela própria artista, que foi a campo em julho de 2013 fotografar todo o material. “A viagem durou um mês. Na verdade fui a passeio, mas por conta da riqueza do conteúdo encontrado coletei as imagens e as transformei na exposição”, coloca.

História

Desde a adolescência, Suzana carrega em si a paixão pela pintura. Fã assumida das obras de Romero Britto, a artista foi premiada três vezes em Belém (PA), cidade onde nasceu. O primeiro prêmio de sua carreira chegou às mãos de Pires logo no ano em que começou a expor, por meio da obra “Manhã”, premiada no II Salão de Artes da FCAP, em 1985.

O segundo prêmio veio em 1987, com a obra “Vida Marinha” arrematando o 1º lugar no I Festival de Artistas Anônimos. Suzana também recebeu uma premiação pela pintura mural no “Projeto Pintarte”, de 1988. Em Manaus, a artista foi premiada com a obra “Eco-Lógico”, no Salão e Arte Branco e Silva, em 1996.

Mostra dos 33 anos de luta indígena

O Complexo Turístico Ponta Negra receberá, a partir do dia 16 de julho até 17 de agosto, a exposição “Povos Indígenas no Brasil 1980/2013” que retrata os últimos 33 anos de luta dos povos indígenas por seus direitos coletivos. O evento é promovido pela Embaixada da Noruega no País e apresenta 46 fotografias de profissionais nacionais e internacionais.

A exposição já passou por Brasília, São Paulo, Belém e agora chega a capital do Amazonas com o apoio da Prefeitura de Manaus. A maior parte das imagens da exposição já foi publicada na imprensa e nos volumes da série Povos Indígenas no Brasil, sendo as últimas edições com apoio do Programa para Povos Indígenas da Embaixada Real da Noruega em Brasília.

“A exposição é comemorativa aos 30 anos de investimentos da embaixada norueguesa nas questões indígenas e a luta desses povos por seus direitos. Elas estarão dispostas em totens com iluminação em LED mostrando que estamos preocupados com as questões indígenas e também com o meio ambiente”, destacou Emanuela Paranhos, produtora executiva do evento.

De Manaus, as imagens seguem para Oslo, capital da Noruega, para a temporada 2015 da exposição.

Serviço

O que é Exposição “Amazônia Virtual”

Quando De 11 a 28 de julho (horário comercial)

Onde Livraria Saraiva, no Manauara Shopping, Avenida Mário Ypiranga, 1.300, Adrianópolis