Publicidade
Entretenimento
Programa da Baby completa 40 anos

Baby celebra 40 anos de ' Nosso Encontro'

Baby Rizzato estreou em 1972 e segue até hoje conquistando o público 02/10/2012 às 08:18
Show 1
" Não troco essa casa por nenhuma outra. Sou feliz aqui", declara
Mellanie Hasimoto Manaus

 Ela nasceu Beatriz, mas entra na nossa casa, cheia de irreverência, todos os sábados, como Baby Rizzato. Há 40 anos no comando do programa “Nosso encontro”, a apresentadora revela que não tem nenhum arrependimento, e só tem a agradecer a generosidade do público e a proteção de Deus por seu sucesso. E, como não poderia deixar de ser, a comemoração acontece em grande estilo, hoje, a partir das 20h, no Teatro Direcional, com direito a show do cantor Emílio Santiago.

 Falar de televisão, no Amazonas, é falar de Baby Rizzato. Há quatro décadas no ar, ela faz questão de falar que amadureceu em frente às câmeras. Como ela mesma ressalta, o programa evoluiu no decorrer do tempo. “O ‘Nosso encontro’ é a minha cara, porque não faço tipo. Já recebi propostas de outras emissoras, mas não largo a Rede Calderaro por nada. Tenho muito apego a essa casa”, contou Baby.

Começo

 Por ter um jeito desinibido, chamou a atenção de uma produtora da extinta TV Ajuricaba, para apresentar debutantes. “Não devo ter feito feio, porque logo em seguida fui convidada para fazer um programa de 45 minutos”, lembrou.

 “Isso aconteceu pelos idos de 1970. Conheci o Eron (Rizzato, seu ex-marido), que veio para cá coordenar a produção de um canal de televisão. Logo em seguida, o senhor Airton Pinheiro (ex-proprietário da TV Baré, atual TV A Crítica) nos convidou para apresentar um programa, e falei que só iria se o Eron fosse. Era um programa de 15 minutos, de entrevistas com senhoras da sociedade, as ‘Luminosas’”, disse.

 Mas isso não durou muito tempo, já que a vontade de fazer algo mais abrangente surgiu em seguida. “Um dos meus produtores, na época, o Mário Adolfo, me deu a ideia de falar sobre os problemas da terra. As ‘Luminosas’ deram lugar à irmã Helena, que invadia terras. Foi nessa época que comecei a gostar de jornalismo de verdade”.

 Sem medo

 Foi nessa época, também, que Baby admite ter perdido o medo de falar sobre assuntos sérios. “Duvida de mim, que vou lá e mostro! E foi assim que amadureci, fazendo um programa mais sério, meio que um palanque para mostrar os problemas da cidade”, declarou a apresentadora.

Durante essa evolução, Baby revela que não carrega arrependimentos. “Fiz tudo com emoção. Dou muito valor ao telespectador, pois tenho um compromisso firmado com eles. E, se tivesse de entrevistar, de novo, o Vinicius de Moraes bêbado, como o fiz, faria sem problema nenhum”, riu, com seu humor que contagia quem tem o prazer de conviver com ela.

 “Derrubei muitas barreiras, e com a ajuda de Rui Alencar (ex-diretor da TV A Crítica), e hoje, com o Dissica Calderaro, diretor-presidente, que amo como se fosse um filho, que cresci muito”.

Homenagens

 A história do programa “Nosso encontro” cruza com muitas vidas e, por conta disso, a festa de hoje terá cinco homenageados. Para guardar a surpresa, claro, Baby revela só as profissões de alguns que tiveram papel importante os 40 anos do programa. “Um médico, que me atendeu no estúdio, um artista plástico, um radialista que virou publicitário importante na cidade, uma pessoa, que não é político, mas que atua até hoje em um cargo definitivo, e um jornalista da casa, que é extremamente competente, humilde e sem vaidades”, fala, emocionada.

Agradecida a quem nunca lhe censurou e que sempre a apoiou, Baby também diz seu muito obrigada a todos os produtores que passaram por seu programa. “Tive a oportunidade de trabalhar com gente maravilhosa. Agradeço a Deus por sua proteção, e ao público, por sua generosidade”, finalizou.