Publicidade
Entretenimento
Vida

Banda 'Os Playmobils' fala da cena roqueira em Manaus

Banda conta sua história em Livro. Recortes ácidos - O rock dos Playmobils” traz aventuras e curiosidades do grupo 24/06/2012 às 12:38
Show 1
Os Playmobils Albenizio Júnior, Carol Magnani e Henrique Magnani.
Rafael Seixas Manaus

Conhecida na cena musical alternativa de Manaus, a banda Os Playmobils conta algumas aventuras do início de sua carreira, da noite roqueira baré, da organização de eventos e de algumas alfinetas em desafetos, por meio do livro “Recortes ácidos - O rock dos Playmobils”, de autoria de Albenizio Júnior, baixista e vocalista do grupo. A obra deve ser lançada em Manaus entre os meses de julho e agosto, em local a ser definido.

A ideia de escrever os “Recortes ácidos”, recorda Júnior, surgiu em 2008, quando a banda fez uma parada de pouco mais de um ano em suas atividades. Na época o músico, que é formado em Letras – Língua Portuguesa, foi trabalhar no município de Manacapuru e, para não deixar de produzir para a banda, decidiu ampliar os relatos que mantinha sobre os lugares que ele e seus companheiros de banda tocavam.

História
“Sempre relatei os locais e as datas de nossas apresentações. Sabia desde o início que tudo valeria a pena, pois nós iríamos contar nossa história e não os outros. O ‘faça você mesmo’, lema do punk rock do final dos anos 70, está mais vivo do que nunca com esta nova era tecnológica, onde você cria tudo dentro de casa e com qualidade.

Basta querer”, conta o músico, integrante da banda ao lado de Carol Magnani (guitarra) e Henrique Magnani (bateria). Ele cita ainda “Mate-me, por favor”, clássico literário sobre o punk escrito por Larry “Legs” McNeil e Gillian McCain, como outro grande impulso do livro.

Verdades
De acordo com o autor, os leitores irão conhecer a realidade de uma banda de rock, do seu início, do não saber tocar e nem ter instrumentos, de começar a organizar eventos. “Há alfinetadas, momentos de êxtase, mau humor, bom humor, amor, raiva. O rock ‘n’ roll é isso: beijar e dar tapa no mesmo rosto!”, sentencia.

E se engana quem pensa que “Recortes ácidos” foi feito apenas para relatar as apresentações da Playmobils. A obra, espera Júnior, pode incentivar outros artistas da cidade a se aventurem na literatura. “Temos que fazer com que aconteça essa literatura underground amazonense, mas de forma mais precisa em relação à cena rock do Estado. Os fanzines que antes circulavam mais frequentemente em festivais eram desse tipo de literatura. Entre eles se destacava a revista ‘Sirrose’, que há muito tempo não leio”, disse. “Nos grandes centros, como São Paulo, Recife e Porto Alegre, existe este tipo de literatura que trata das noitadas, das bandas, dos livros, dos fanzines, dos eventos, dos acontecimentos. Há um público que se interessa por isso, principalmente os notívagos”.

“Recortes ácidos” está sendo lançado pelo Controle Gabiru, selo musical da editora Bartlebee, sediada em Juiz de Fora (MG) e mantida pelo jornalista e ex-baixista da Underflow, Daniel Valentim. A obra ainda terá lançamento em Manaus, mas já está disponível para compra online pela Livraria Cultura (www.livrariacultura.com.br).