Publicidade
Entretenimento
Buzz

Bandeirantes terá que pagar R$ 250 mil por exibir vídeo de Daniella Cicarelli

Emissora será processada por exibir filme da modelo em cenas íntimas, em 2006 10/05/2012 às 18:36
Show 1
Daniella Cicarelli retorna à MTV
UOL/CELEBRIDADES ---

O canal de televisão Bandeirantes terá que pagar R$ 250 mil a Renato Malzoni (Tato) por conta da exibição, em 2006, do vídeo em que ele e Daniella Cicarelli, na época namorados, apareciam em cenas íntimas. Segundo o juiz Ênio Zuliani, a divulgação do material foi usada pelo canal "de forma sensacionalista, com interesses mercantilistas".

Nesta quinta-feira (10), o processo passou por segundo julgamento no Tribunal de Justiça de São Paulo, pois Malzoni havia entrado com recurso na ação, por não concordar com o valor da indenização de R$ 35 mil.

No primeiro julgamento, ocorrido em 2010, os sites Youtube, Google, Terra e IG foram condenados a pagar R$ 35 mil de indenização por publicarem o material. No julgamento desta quinta, no entanto, o juiz, não aceitou aumentar a indenização destas empresas, pois entendeu que elas apenas noticiaram uma informação.

Já no caso da Bandeirantes, a justiça afirmou que eles agiram de forma "maldosa".

O advogado de Tato Malzoni, Rubens Tilkian, diz que seu cliente deve recorrer da decisão que aboliu o pagamento de indenização por parte do Google e do Youtube, pois eles continuaram exibindo o vídeo, mesmo depois que Cicarelli e Malzoni ganharam na justiça o direito de proibir a divulgação do material."O valor deve servir como incentivo para que novas atitudes como essas não aconteçam", afirmou Tilkian durante audiência.

Ou seja uma segunda ação está em andamento, pois Zuliani afirmou que não poderia julgar os dois processos, já que agora se trata de assunto distintos - um por danos morais (julgado hoje) e outro por conta da proibição de divulgação dos materiais. "Seria uma dupla indenização pelo o mesmo fato, por isso os autores (Renato e Cicarelli) podem recorrer."

Procurada, a assessoria de imprensa da Bandeirantes disse que irá consultar o departamento jurídico do canal, mas ainda não se pronunciou sobre o assunto.