Publicidade
Entretenimento
Vida

Bicicletas turbinadas no PIM

A Kasinski aposta no mercado “ecologicamente correto” e começa este mês a produção da primeira linha de bicicletas elétricas no Brasil. Criou até uma marca própria, a Velle 05/02/2012 às 12:11
Show 1
Empresa vai investir R$ 3 milhões no lançamento dos oito modelos da linha de bikes elétricas
Joubert Lima Manaus

Neste mês de fevereiro, a Kasinski, empresa do grupo CR Zongshen, inicia a fabricação das bicicletas elétricas da linha Velle, criada especificamente para o segmento. Inicialmente, serão produzidas duas mil unidades por mês, mas a meta da empresa é atingir toda a capacidade instalada, que é de dez mil bikes mensais. A empresa apresentou os oito modelos que serão fabricados na planta de Manaus na última edição do salão de Duas Rodas.

 A Kasinski é a empresa brasileira que mais se destaca na divulgação de veículos com tração elétrica. Após lançar motos elétricas que obtiveram boa aceitação no mercado, a empresa voltou-se para o segmento de bikes. O presidente da Kasinski Brasil, Cláudio Rosa Junior, explica que as bicicletas elétricas estão classificadas como ciclo-elétricos, definição criada pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran) na resolução 315/2009.

Ainda resta polêmica quanto à necessidade de licenciamento das bikes. Em Manaus, por enquanto, modelos importados circulam livremente. A questão é que o Contran as equipara aos ciclomotores, de modo que elas precisariam ser licenciadas e os condutores, habilitados.

Polêmicas à parte, a proposta da Kasinski não é criar opções às motocicletas - a empresa também tem uma linha de motos elétricas - mas atender ao público que não é necessariamente de atletas, mas que demanda por um transporte individual eficiente e ecológico.

A empresa sino-brasileira está investindo R$ 3 milhões no lançamento das bikes elétricas e espera liderar o segmento, hoje dominado por produtos chineses. Para isso, a empresa aposta em dois fatores fundamentais: preço e design.

 A companhia lançará oito modelos, sendo que o mais barato tem preço sugerido de R$ 1,5 mil, mais em conta que a bicicleta importada mais popular, que não sai por menos que R$ 1,6 mil. Além disso, diferente de modelos importados que proliferam em Manaus, as bikes elétricas da Kasinski têm design de bicicleta mesmo (as importadas parecem motonetas), nos estilos mountain bike e city.

O investimento da Kasinski é uma aposta em um nicho que, segundo Claudio Rosa, está desassistido. “Não há no mercado muitas opções de veículo de transporte individual nessa faixa de preço”, diz. A empresa já fechou negociações com os principais varejistas do País. Até março, as novas bicicletas estarão disponíveis em lojas como Magazine Luiza, Máquina de Vendas, Carrefour e Casas Bahia entre outras.

 Velha Novidade

Motores elétricos em carros, motos e bicicletas podem parecer novidade em um mundo dominado pelos motores de combustão interna, mas a ideia já vem sendo trabalhada desde o início do século passado.

“Todo o transporte deve migrar para a eletricidade”, disse Thomas Edson em 1914. Edson e Henry Ford chegaram a projetar modelos elétricos que nunca foram oficialmente lançados por motivos nunca revelados.

Hoje, quase um século depois, as principais fabricantes de motocicletas produzem veículos elétricos, e a própria Ford já anunciou investimentos na área. O futuro previsto por Edson parece ter chegado.