Publicidade
Entretenimento
Vida

Boi Bumbá Garanhão conta história da cultura cabocla

O Boi Bumbá Garanhão está em busca do 18º título, trazendo para o Centro Cultural dos Povos da Amazônia uma apresentação sobre a diversidade cultural dos amazonenses. 22/07/2012 às 01:01
Show 1
A busca é pelo 18º título, levando para a arena do Centro Cultural dos Povos da Amazônia a valorização da cultura cabocla
Camila Pereira Manaus

‘O Glorioso da Cidade Alta’, o Boi Bumbá Garanhão, coloriu o publico de quase 15 mil pessoas de verde e branco, nesta noite de sábado (21), no Centro Cultural dos Povos da Amazônia, na antiga Bola da Suframa, localizado no Distrito Industrial, zona Sul de Manaus. Esta será a segunda noite de apresentações relacionadas ao auto do boi, que iniciou nesta sexta-feira (20), com a presença do Boi Bumbá Brilhante na Arena.

Em segundo lugar, em 2011, o Boi Garanhão promete fazer bonito este ano com o tema ‘Sou bravo, sou forte, sou filho do Norte’, já que comemora 21 anos de existência. A busca é pelo 18º título, levando para a arena Povos da Amazônia uma apresentação que valorizam todos aqueles que contribuem para o folclore em Manaus e no Amazonas.

O espetáculo levado para a arena exaltou o povo amazonense, destacando valores e a mistura de diversas culturas, através de três carros alegóricos e 850 brincantes. A batucada composta por 150 ritmistas, coordenados pelo Mestre Jackson Moraes levantou a arquibancada.

De acordo com o vice-presidente da Agremiação Cultural, o 'boi peralta' tem seu diferencial. "O nosso boi tem muito mais garra, foco no trabalho, sem contar o nosso planejamento e organização. Viemos para ganhar", declarou.

A lenda amazônica defendida foi ‘Caa-cy, Mãe-da-Mata’, que foi representada na primeira alegoria, a entidada protetora dos animais de floresta da ação predatória. Depois foi a vez de a segunda alegoria adentrar e contar o auto do boi. E, por fim, a representação do ritual ‘Apocalipse Karajá’, mostrando todo o universo mítico dos povos indígenas na Amazônia, contando a lenda do jovem Diuré que fugiu de casa e despertou a fúria dos deuses, quando somente o pajé poderia restaurar a paz.

Ainda tem mais festa de boi bumbá neste domingo (22), quando Corre Campo fará sua apresentação, às 21h.