Publicidade
Entretenimento
Vida

Brasileira é selecionada para programa de fomento do Festival de Cannes

A brasileira Anita Rocha da Silveira, uma paraguaia, um chileno e mais sete jovens da Ásia, África, Europa central, Magreb e do Oriente Médio foram escolhidos para ir a Cannes e se apresentar no maior festival de cinema do mundo 18/05/2012 às 16:29
Show 1
Visitantes caminham em frente ao Palácio do Festival, que recebe o Festival de Cannes 2012 entre 16 e 27 de maio (15/5/12)
AFP ---

Uma brasileira está entre os dez jovens convidados a apresentar seus projetos e buscar financiamento para um primeiro ou segundo longa-metragem no pavilhão "Os Cinemas do Mundo" do Festival de Cannes.

A brasileira Anita Rocha da Silveira, uma paraguaia, um chileno e mais sete jovens da Ásia, África, Europa central, Magreb e do Oriente Médio foram escolhidos para ir a Cannes e se apresentar no maior festival de cinema do mundo.

Anita exibe, em Cannes, o seu projeto "Mata-me, por favor". A brasileira estudou cinema na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC) em 2008. É roteirista, editora e diretora de três curtas, "The Noon Vampire" (2008), "Handball" (2010) e "The Living Dead" (2012).

Com o apoio do presidente do Festival de Cannes, Gilles Jacob, do Instituto Francês, da Organização da Francofonia, assim como de grandes veículos franceses, como France 24, RFI e TV5 Monde, o pavilhão oferece aos jovens cineastas a possibilidade de mostrar a variedade da criação internacional.

Os jovens cineastas têm acompanhamento personalizado, o que abre as portas do festival e, sobretudo, dos produtores em busca de projetos originais e dos talentos de amanhã.

Selecionados entre 150 candidatos, os dez cineastas convidados a Cannes têm como padrinhos a atriz e diretora franco-portuguesa María de Medeiros e o diretor palestino Elia Suleiman.

"Os roteiros dos jovens selecionados falam do mundo. O cinema não se resume a receitas para nos distrairmos, serve para mergulharmos no mundo. Enquanto nos distraímos, o mundo segue girando", declarou María de Medeiros à AFP ao inaugurar nesta sexta-feira o "Cinemas do Mundo".