Publicidade
Entretenimento
LANÇAMENTO

Cantora brasileira radicada no Uruguai desde 2012, Tamy lança álbum 'Parador Neptunia'

Dessa mistura de culturas, o quarto disco da artista traz músicas cantadas tanto em espanhol quanto em português 18/07/2017 às 05:00
Show bv0418 2r
(Foto: Divulgação)
Alexandre Pequeno Manaus (AM)

A fusão dos ritmos brasileiro e uruguaio. Esse é o tom do novo disco da cantora e compositora capixaba Tamy. Intitulado "Parador Neptunia", o álbum é o quarto lançamento da brasileira e já está disponível nas principais lojas e plataformas online de música. A distribuição nacional é feita pela Universal Music.

Tamy vive no em Montevidéu, Uruguai desde 2012 e de lá surgem as principais influências para “Parador Neptunia”. Dessa mistura de culturas, o álbum traz músicas cantadas tanto em espanhol quando em português e conta com a participação de grandes músicos uruguaios como Ruben Rada, Hugo Fattoruso, Sebastian Jantos e Ernesto Díaz. O “candombe” é um dos gêneros uruguaios mais predominantes no lançamento.

Em conversa com o BEM VIVER, Tamy conta que a ideia para o álbum surgiu a partir de seu projeto Tamy Invita, que traz músicos uruguaios e brasileiros para cantar com ela. “Comecei com o projeto em Montevidéu e começou a surgir músicas que eu tinha vontade de cantar, compor. Estava tão envolvida com a história e fizemos essa fusão entre Brasil e Uruguai. A paixão já estava lá e o repertório surgiu”, explica a cantora.

A maior inspiração para o álbum, como sugere o próprio nome, é um balneário chamado Neptunia, que reúne artistas, músicos para cantar, dançar e fazer performances. 
De acordo com Tamy, o lugar possui uma aura mística e sensual, que é traduzido no disco batizado em homenagem ao local. 

“É um lugar incrível, e todos os sábados os artistas se reúnem para fazer manifestações artísticas lá. Conheci o local através de um amigo e lá tem de tudo, de maestros a artistas de rua. Existe um coro lindo com belos arranjos vocais e tudo isso me chamou atenção. É um lugar que não está no circuito turístico de Uruguai, mas a partir de lá comecei a conhecer muito mais a cultura do país”, explica Tamy.

Faixas
Gravado entre os dois países, o disco é produzido por Rodolfo Simor e mixado pelo premiado Mario Caldato Jr. O álbum abre com o beat eletrônico com “Pra ti vê”, uma das seis composições inéditas dela. A batida suave acompanha a música de abertura.

O “candombe” aparece fortemente na canção “Te parece”, onde Tamy canta em espanhol e o vocal é embalado pelos tambores “chico”, “repique” e “piano”, característicos do gênero. A primeira parceria surge em “Ayer te vi”, em que divide o microfone com o autor Rubén “El Negro” Rada, formando uma boa mistura com a MPB.

O calor da música brasileira surge em faixas como “Festa de Iabá”, fazendo a conexão Bahia-Montevidéu, onde violão e cordas são entrelaçados por tambores de candombe; e “Alice”, faixa romântica que transformam a voz de Tamy num R&B com sabor nordestino.

“Estrelas” conta com a participação ao piano e nos vocais de Hugo Fattoruso, o legendário músico uruguaio, que assina a composição com Tamy.  O disco fecha de maneira arrebatadora com “Neptunia”, um dueto com César Lacerda, que assina a composição com Tamy e Francisco Vervloet.