Publicidade
Entretenimento
Vida

Cabeleireiros auxiliam na identificação do Câncer de Pele

Cabeleireiros são melhores amigos das mulheres quando se trata de beleza, mas podem ser grandes aliados quando o assunto é saúde 29/04/2012 às 19:09
Show 1
Os cabeleireiros podem ser grandes aliados na hora de detectar a doença
Luana Ribeiro Manaus

Cabeleireiros são melhores amigos das mulheres quando se trata de beleza, mas podem ser grandes aliados quando o assunto é saúde.

Um estudo divulgado pela publicação cientifica especializada em Dermatologia, Archives of Dermatology, revelou que o câncer de pele pode ser detectado a olho nu, através do couro cabeludo, e que os cabelereiros tem um papel importante na identificação.

“O couro cabeludo é uma área de difícil acesso visual. Quando a lesão é alta e faz relevo, as pessoas percebem e  normalmente procuram um médico. Mas nem todo câncer tem essas características, às vezes só é uma alteração de cor, por exemplo, então o cabeleireiro pode ajudar nesse sentido”, diz o dermatologista da Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas, Fábio Francesconi.

O médico ainda destaca a importância dos profissionais no diagnóstico precoce. “Se você tem o mesmo cabeleireiro há muito tempo, fica até mais fácil. Porque se não existia um sinal, e de repente apareceu um, ele vai notar e dizer”, afirma. “Geralmente não dá sintomas, por isso a gente precisa do cabeleireiro. Pode até doer, sangrar, mas se for esperar isso para fazer um diagnóstico já não é precoce, já está num estágio mais avançado da doença”, alerta.

Projeto

O médico acredita que reunir esforços de profissionais da saúde e beleza pode ajudar na detecção e tratamento do câncer de pele. Por isso está elaborando um projeto que tem o objetivo de treinar cabeleireiros a reconhecer lesões perigosas. “Não é lugar mais frequente para se identificar. Mas algum médico já olhou seu couro cabelo?“, questiona. “Quando a gente faz o diagnóstico precoce, o custo do tratamento é um, se o diagnóstico é tardio, ele pode aumentar em até sem 100 vezes”, finaliza.