Publicidade
Entretenimento
Música

Cantor Cileno fará pré-lançamento de novo disco no Galvez Botequim

Álbum “Eterna Criança” foi feito sem pré-produção e será apresentado ao público com um show no dia 7 de dezembro 04/12/2017 às 11:25 - Atualizado em 04/12/2017 às 11:26
Show cileno
(Foto: Winnetou Almeida)
Laynna Feitoza Manaus (AM)

Pular, brincar, se permitir. Jogar para fora a criança que há dentro de si. É isso que o cantor Cileno, aos 59 anos, tem vivido e imprimido em sua música. O retrato disso é o novo álbum do cantor, “Eterna Criança”, cujo pré-lançamento será no Galvez Botequim, no dia 7 de dezembro, a partir das 20h.

Com sete faixas inéditas e duas regravações (“Florais” e “Sol de Amsterdã”) o disco possui um fato curioso: a não existência de pré-produção. “Ele foi construído todo dentro do estúdio. Levei as músicas só de violão e aí foram chegando os músicos e colocando suas ideias. E a coisa foi fluindo até chegarmos ao resultado final”, pondera o músico, com 37 anos de carreira.

A diferença entre “Eterna Criança” e seus antecessores, segundo Cileno, é o formato: ele sempre fez discos com bandas compostas por baterias, teclados e guitarras. “Para este trabalho, ouvi bastante o CD dos Tribalistas e quis chegar ao formato, que é bem interessante: com voz, violões, percussão e contrabaixo. Os violões são predominantes”, conta o artista.

Oito faixas do álbum são au torais, e uma é do compositor roraimense Neuber Uchoa. O trabalho tem convidados ilustres. “Chamei o Maklin Marques porque já o conhecia e sua interpretação me fez convidá-lo. Outro convidado foi o Tenessee Nogueira, pela sua identificação com o reggae e pelo timbre vocal bem particular”, destaca Cileno.

A cantora Naty dos Anjos também conquistou seu lugar no projeto. “Pela sua evolução na música. Eu fui jurado no The Voice Manaus, onde a conheci, e venho acompanhando sua trajetória e evolução musical”, complementa ele. O time de músicos contratados para o disco é composto por Reinaldo Cardoso, que fez os violões e produziu o álbum junto com ele.

Instrumentistas

O baixista Marcos Cileno, o percussionista Ronaldo Alves e o próprio Cileno tocando violão de nylon em algumas canções dão o toque rústico do som. As participações especiais do disco ficam a cargo do baixista amazonense Sérgio Carvalho, que foi músico do Djavan e atualmente toca na banda O Teatro Mágico, e gravou duas músicas especialmente de São Paulo.

“Ele gravou de lá e me enviou. Inclusive, quando falei que estava gravando um CD, ele disse que eu preciso correr atrás de colocar meus discos nas plataformas digitais, e ele está certo”, lembra Cileno, dizendo que pretende colocar seus discos em redes como Spotify e Deezer o quanto antes.

Há também a participação do percussionista Jota Erre, diretamente de São Paulo, de Robson Andrei, que fez uma participação de gaita de boca em uma das faixas, e do percussionista João Paulo. O desejo de Cileno é lançar o disco oficialmente no Teatro Amazonas, pelo formato quase acústico e pela suavidade em sua sonoridade. “Mas primeiro quero fazer pré-lançamentos nos bares que oferecem uma estrutura compatível com a sonoridade do álbum”, pontua ele.

Nova visão

Perto de fazer 60 anos, Cileno se vê mais criterioso, seleto, confiante e crítico com o seu trabalho e o de seus colegas. “Já o impacto entre o Cileno homem e o artista é que o homem, por ser maduro, já tem uma outra visão de mundo, pisa no chão com muito mais cuidado, tem uma percepção do que é certo e errado com mais rapidez. Já o artista vive em outro mundo, um mundo de fantasia, como se eu fosse um personagem. Aí tem de atuar de acordo com o roteiro que esse mundo lhe apresenta”.

Serviço

o quê: Pré-lançamento do CD “Eterna Criança”, de Cileno

quando: Dia 7 de dezembro, a partir das 20h

onde: Galvez Botequim (Rua Belo Horizonte, 93, Adrianópolis)

infos: (92) 99148-3238

Publicidade
Publicidade