Publicidade
Entretenimento
Buzz

Carol Zoccoli: ‘estava me sentindo muito fraca e não tinha força pra continuar’

Atriz abre o jogo, conta as dificuldades que passou e o que mudou na vida dela depois do reality "Amazônia" 27/02/2012 às 16:35
Show 1
A humorista Carol Zoccoli desistiu do programa alegando não ter condições físicas para continuar na competição
acritica.com ---

Primeiro, Carol Zoccoli ameaçou desistir, ficou mais um pouco, mas não agüentou mais e no programa deste domingo (26), a comediante abandonou o programa e a chance de ganhar R$1 milhão.

Vários foram os desafios: provas difíceis, desgaste psicológico e físico e, no caso dela, uma gripe já no segundo dia de competição. Segundo Carol, estes foram os principais motivos para a desistência:

- Eu saí mais pela questão física, pois no segundo dia eu fiquei doente, fiquei gripada, tive insolação. Foi que mais pegou, estava me sentindo muito fraca e não tinha força pra continuar.

A comediante diz que, mesmo sem conhecer bem as pessoas com quem estava convivendo, foram os participantes que a ajudaram nos momentos em que ela mais precisou:

- Foi no apoio da galera, o pessoal era muito legal. Ficamos realmente muito amigos, tinha vontade de ficar com eles. Eu estava tomando remédio, estava melhor, mas depois piorei e não tive como continuar.

Quando perguntada sobre qual foi a pior prova para ela, a resposta ficou entre duas, mas uma delas pesou para o lado positivo, por ter feito bem a uma das comunidades que o programa mostrou:

- A do cabo de guerra foi a pior. Achei muito pesada, uma prova de muita força e eu não consegui entendê-la no conceito. Na verdade, a prova da construção da fossa foi bem pesada, porque estava muito calor, mas o objetivo dela era mais legal. Foi o que eu mais gostei, de você construir algo que beneficia outras pessoas. Mas a do cabo de guerra teve a questão da força, e particularmente eu não consegui entender.

Para Carol, o momento mais difícil que enfrentou, foi quando ficou doente e pegou insolação e isso, aliado com as dificuldades do acampamento, complicavam a estada na Amazônia:

- Quando eu comecei a ficar doente, no quarto dia eu tive insolação, fiquei absurdamente mal e no acampamento tínhamos todas as dificuldades de acampamento, pouco espaço na barraca, para o banho tínhamos que nos juntar, não podíamos tomar banho a hora que quiséssemos e o calor era forte! A água vinha só de uma vez, tínhamos de estar em, no mínimo, quatro pessoas.

E você quer saber por quem ela tem carinho especial e quem ela acha que merece ganhar? Desista, pois para ela, ali todos são merecedores:

- Eu não posso citar uma pessoa só, pois todas as pessoas foram muito legais comigo, as pessoas que estiveram mais próximas foram as do meu grupo, por uma questão de convivência, todos me apoiaram na minha decisão, me senti acolhida também pelas pessoas do Yaka. Na verdade o primeiro devia dividir o prêmio com todo mundo, porque ninguém fez corpo mole, todos fizeram o seu papel, seria muito injusto se eu citasse uma pessoa. Não temos divisão de grupo, acho q ninguém entrou nessa de competitividade.

E Amazônia trouxe muitas coisas positivas para Carol, como consciência ambiental e sustentabilidade, mas o que ela mais ressalta, foi que ela aprendeu a cuidar dela mesma:

- A coisa mais louca foi que eu mudei demais. Mudei minha alimentação, estava muito mal fisicamente. Lá, eu comia muita fruta, coisas mais saudáveis, e abri mais espaço para isso. Sinto que eu mudei totalmente, emagreci muito. Antes eu comia frutas só quando tomava caipirinha (risos). Não só a consciência sustentável, os cuidados com a floresta, mas comigo mesmo.