Publicidade
Entretenimento
ENTREVISTA

Filme de Chaplin é exibido com trilha ao vivo no Teatro Amazonas, neste domingo (4)

Sessão especial do filme “O Garoto” vai contar com acompanhamento musical no projeto “Cinepiano”, do pianista Tony Berchmans 28/02/2018 às 16:33 - Atualizado em 28/02/2018 às 17:08
Show bv0128 02f
Tony Berchmans levou o projeto para o Brasil inteiro e países da Europa e agora estará no Teatro Amazonas (Divulgação)
Maria Paula Santos Manaus (AM)

A proposta do projeto “Cinepiano” é o improviso de uma trilha sonora original para um clássico da Sétima Arte. Nos últimos anos, o  criador e responsável pelo projeto, Tony Berchmans, passou por prestigiados espaços e eventos pelo Brasil, além de apresentações especiais no mundo todo. Desta vez ele estará no Teatro Amazonas, onde se apresenta no domingo (4) dando som ao filme “O Garoto” (1921), de Charles Chaplin.

O projeto em si consiste em ser um raro tributo ao cinema e à trilha sonora. Trata-se de um exercício de improvisação e sincronismo, no qual o acompanhamento musical de filmes ao vivo se torna uma experiência audiovisual única. No espetáculo, a música narra as cenas com precisão e ajuda a contar a história, estabelecendo andamentos, climas emocionais, ambientações dramáticas e pontuações cômicas. 

“O ‘Cinepiano’ é de certa forma uma homenagem que eu criei ao cinema, já que trago para o palco, a arte de se compor uma trilha sonora ao vivo. É um tributo porque eu tento trazer toda a magia da trilha sonora, dos truques e da emoção, seja ela qual for, dos filmes clássicos”, comenta Tony Berchmans. 

Trilha Sonora

Um dos maiores objetivos, de acordo com o produtor musical do “Cinepiano”, é mostrar a importância da música na linguagem audiovisual, fazendo o público perceber o papel fundamental da trilha sonora. Na opinião de Berchmans, a trilha é associada diretamente à história dos filmes, uma vez que não existe o certo e o errado, mas sim o tom certo da emoção. 

“Existe um motivo especial para a escolha do filme ‘O Garoto’. Nos últimos anos venho acompanhando muitos filmes do cinema mudo e esse do Chaplin, nessa primeira fase dele, vem repleto de emoções. Quando ele fazia uma comédia, não era apenas uma comédia; tem drama, velocidade, alegria, tensão... E essa variação de emoção é muito rica e interessante, o que me permite como músico trilhar uma composição muito colorida e rica”, afirma o pianista. 

Tony também é compositor, produtor musical e especialista no estudo da música de cinema. É autor do livro “A Música do Filme – Tudo o que você gostaria de saber sobre a música de cinema”. Atuante no mercado de produção fonográfica, foi curador do “Música em Cena –1º Encontro Internacional de Música de Cinema”, evento que trouxe ao Brasil lendas da música de cinema como Ennio Morricone e Gustavo Santaolalla e encontrou em seu projeto uma forma de demonstrar uma realidade:  de que o cinema nunca foi mudo, uma vez que as projeções cinematográficas deste período eram acompanhadas por música executada ao vivo.

"Como o próprio roteiro do filme diz, é uma história que tem um pingo de riso e um pingo de choro. Essa variedade de emoções é o que a torna tão especial para que eu possa acompanhá-la." Tony Berchmans, pianista

Serviço

O quê: “Cinepiano” com Tony Berchmans
Onde: Teatro Amazonas
Quando: domingo, 4 de março, às 19h
Vendas: Bilheteria do Teatro e site Alô Ingressos

Saiba Mais 

“O Garoto” (1921)

Uma mãe solteira deixa um hospital de caridade com seu filho recém-nascido. A mãe percebe que ela não pode dar para seu filho todo o cuidado que ele precisa, assim ela prende um bilhete junto a criança, pedindo que quem o achar cuide e ame o seu bebê, e o deixa no banco de trás de um luxuoso carro. O clássico tem direção de Charles Chaplin, que também atua no papel principal.

Publicidade
Publicidade