Publicidade
Entretenimento
Buzz

Christian Bale diz que Heath Ledger está presente em novo Batman

"Já sinto uma saudade enorme de Heath Ledger, todos os dias, ele foi uma parte grande de todo o trabalho", disse o ator em entrevista 26/07/2012 às 09:15
Show 1
Christian Bale
uol/cinema ---

Os fãs que possam ter torcido o nariz quando Christian Bale foi o escolhido por Christopher Nolan em 2004 para o papel de Bruce Wayne e Batman -- David Boreanaz, da série "Bones", era a outra opção --, já devem estar plenamente convencidos. O ator britânico  trouxe a dimensão psicológica exata para o personagem: uma mistura, como ele mesmo diz, de raiva, solidão, altruísmo e loucura.

Na hora do adeus, o premiado artista, dono de longa e ilustre carreira (está nas telas desde 1987, quando tinha apenas 13 anos), confessa ter sentimentos confusos.

UOL - Agora que você chegou ao final de sua missão como Bruce Wayne/Batman, como você se sente?
Christian Bale
- Feliz, mas também um pouco melancólico. Vou sentir falta de muita gente. Fiz muitas amizades que vão durar, mas sei também que vou sentir saudade de vê-los todos os dias. Vou sentir muita saudade de Chris Nolan e toda a equipe.

Já sinto uma saudade enorme de Heath Ledger, todos os dias, ele foi uma parte grande de todo o trabalho. Tornou-se um amigo querido, foi essencial para o desenho do meu personagem, acho que está presente, de certa forma, até neste filme. São quase 10 anos trabalhando juntos, é um bom pedaço da vida de todos nós.

Como está Bruce Wayne/Batman neste episódio final?
Ele está mal, muito mal. Está cheio de remorso, tornou-se um eremita, mais do que qualquer momento anterior. Desistiu de tudo. Está em péssima forma física. Mentalmente, ele está ainda pior.

Aí aparecem esses dois personagens, Selina Kyle e John Blake, que não dão a mínima para o fato dele ser Bruce Wayne. Eles são completamente irreverentes, grosseiros até. A atitude deles dá uma sacudida em Bruce. Ele adora essa insolência. E isso o inspira a voltar, pela última vez, a ser Batman.

Com tanto tempo em Gotham, alguma coisa nesse personagem ainda o surpreende?
Há sempre coisas novas e surpreendentes que são possíveis quando se trata do personagem Bruce Wayne. Ele sofre da síndrome da personalidade múltipla. Dentro dele ainda vive o menino que viu seus pais serem assassinados na frente dele. Ele é um indivíduo muito triste, solitário, incapaz de ir adiante em sua vida.

Há a persona pública, do playboy, e existe o personagem super sincero do Batman, que personifica toda a sua raiva e seu sensação de injustiça. Ele é quase um vilão, leva seus atos até o limite do que poderia ser um grande mal, mas tem um altruísmo inato que o impede de avançar por esse território. Esse é um material que pode render uma infinidade de histórias. Mas acho que Chris escreveu um capítulo final sensacional e está na hora de dizer adeus.

O seu traje é novo para este filme? Aliás, você guarda os seus trajes de Batman?
Este traje foi o mesmo de "O Cavaleiro das Trevas". Ainda bem, porque o primeiro ("Batman Begins") era muito pesado, muito desconfortável, eu mal conseguia me mexer nele, levava 20 minutos para vestir e tirar. Chegava a ser claustrofóbico, tive acessos de pânico. Este traje de agora é o mesmo do filme anterior, com alguns melhoramentos. Muito mais leve.

Não guardo os trajes. Mas guardo as máscaras: tenho as máscaras dos três filmes.

O que você faria se um cara com esse traje parasse você na rua e quisesse bater um papo?
Eu ia achar que era um doido. Só seria normal se fosse Halloween [Dia das Bruxas nos EUA], né? Eu mesmo, quando comecei a conceber esse personagem, cheguei a pensar: "nossa, esse cara é um idiota". Mas aos poucos compreendi que ele, na verdade, não é um herói muito saudável. Ele leva a questão do traje totalmente a sério. Ele se veste como se sente: um ser monstruoso.

O que você quer fazer daqui para frente?
Agora eu quero tirar umas férias. E fazer alguns filmes bem pequenos.