Publicidade
Entretenimento
TURISMO

Cinco destinos próximos a Manaus para conhecer no final do ano

Da experiência histórica de São Luís à comida de Lima, das praias de Recife à vida agitada de Bogotá, diversas opções para o Natal e o Réveillon 15/11/2017 às 14:56
Show a arquitetura de s o lu s encanta
Centro Histórico de São Luís (MA). Foto: Reprodução/Internet
Agência Conversion Manaus (AM)

Faltando dois meses para as festas de final de ano, o comércio já começa a se preparar para o aumento na procura por presentes e viagens - mesmo em um cenário ainda de crise. A projeção da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) é que as vendas subam 4,3% em 2017, no que seria o melhor Natal dos últimos quatro anos.

Um setor que espera lucrar nas festas de Natal e Réveillon é o das companhias aéreas, já que é nesse período do ano que muitas pessoas se deslocam pelo país ou para o exterior para se juntar a familiares, amigos ou para sair de férias. No caso da brasileira Azul, que opera a maioria dos voos saindo de Manaus, a expectativa é que mais gente deixe a capital amazonense com destino às regiões vizinhas.

Para quem descansar no recesso do final do ano, o Portal A Crítica elaborou uma lista com cinco destinos possíveis para conhecer em poucos dias e por preços não tão caros.

Belém - Pará

Capital brasileira mais próxima de Manaus, Belém divide o posto de principal destino amazônico do turismo nacional. Segundo dados da Secretaria de Turismo do Pará, em 2016, das cerca de 1,1 milhão de pessoas que desembarcaram no estado, 650 mil - ou metade de todos os visitantes - vieram conhecer a cidade. Desses, 119 mil eram provenientes do Norte do país.

Às margens da Baía de Guajará e do Rio Guamá, Belém cresceu como destino turístico nos últimos anos pela gastronomia e pelas tradições amazônicas. Hoje, o principal cartão-postal da cidade é o Mercado do Ver-o-Peso, onde os turistas encontram não apenas frutas e receitas típicas locais, como também entram em contato com superstições mantidas por personagens que tiveram contato com tradições passadas.

Belém também atrai turistas pelas suas construções históricas: fundada em 1616 no auge da exploração da borracha, a capital paraense guarda diversos edifícios daquela época, assim como igrejas e fortificações construídas em um período de crescimento populacional. “É um ponto de contato com uma ‘brasilidade’ impressionante”, conta o estudante Vitor Iso, de Manaus.

São Luís - Maranhão

Também construída entre uma baía e o encontro de vários rios, São Luís dá acesso a um dos destinos turísticos mais famosos do mundo: o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, localizado a 260 km da cidade. Nos últimos anos, porém, cresceu também a procura por visitantes interessados em explorar as particularidades da única capital brasileira fundada por franceses, no século 17, e invadida por holandeses e por portugueses nos anos seguintes.

Em 1997, uma parte do centro histórico de São Luís foi declarado Patrimônio Material da Humanidade pela Unesco, órgão da Organização das Nações Unidas (ONU) para a cultura. Entre os prédios mais visitados estão o Palácio dos Leões, residência oficial do governador do Maranhão, o Palácio de La Ravardière, que serve como sede da prefeitura, a Catedral de São Luís, o Palácio Episcopal, o Museu Histórico e o Convento das Mercês.

Se a busca é por uma experiência mais moderna, a cidade possui uma área nova, do outro lado do Rio do Anil, ligada pela Ponte José Sarney, onde na década de 1990 começaram as construções de arranha-céus, shoppings centers, restaurantes sofisticados que servem pratos típicos como o arroz-de-cuxá e bares ao redor da charmosa Lagoa da Jansen - onde acontece o agito noturno.

Recife - Pernambuco

Uma das principais metrópoles do país, Recife reúne todos os elementos que fazem com que uma cidade seja atrativa no mercado turístico: história, gastronomia, comércio, beleza, praias e festas. “É até difícil dizer o que um visitante deve fazer na cidade. Tem tanta coisa em qualquer lugar e horário que dá até um desespero ter que definir algo”, expressa Cristiane Stuarth, que é recifense, mas vive em São Paulo.

Fundada em 1537, a cidade também tem uma história de conquistas e influências diversas, primeiro dos portugueses que a ergueram e depois dos holandeses que a tomaram no século 17, quando foi rebatizada de Mauristaad (Cidade Maurícia) por João Maurício de Nassau, então governador das possessões dos Países Baixos além-mar.

Dessa época, por exemplo, é a Ponte Maurício de Nassau, construída no século XVII para ligar a ilha de Recife (hoje bairro de São José) à ilha de Santo Antônio e que hoje é símbolo de umas das principais histórias do período colonial brasileiro - além de ter importância significativa para o início da cidade e para o desenvolvimento do estado e do Nordeste do país.

Em Recife ainda existem praias mundialmente famosas, como a de Boa Viagem, é acesso para outras também conhecidas, como a Ilha de Itamaracá, Porto de Galinhas e Ipojuca, no Pernambuco, e Maragogi, no Alagoas. Para quem quiser permanecer na experiência histórica, vale a pena conhecer Olinda, cidade anexa à capital pernambucana e que guarda boa parte da história da colonização do Nordeste.

Bogotá - Colômbia

Como já publicado pelo Portal A Crítica em setembro, a proximidade e a oferta de voos saindo de Manaus fez com que Bogotá, capital da Colômbia, se tornasse uma opção internacional para quem vive na Amazônia. Antes caras, as passagens aéreas para a metrópole colombiana são encontradas hoje por menos de R$ 2 mil ida e volta - uma possibilidade para quem quer aproveitar o final do ano para ir ao exterior.

Bogotá tem um ritmo semelhante ao dos grandes centros urbanos brasileiros, como São Paulo e Belo Horizonte: intenso movimento de pessoas, ruas e avenidas lotadas, comércio pujante, museus, teatros, cinemas e diversas outras manifestações culturais, vida noturna agitada e um amplo espectro de atrações, que vão desde partidas de futebol até grandes eventos.

A capital colombiana também passou a receber muitos turistas internacionais por conta da série estadunidense Narcos, produzida pela Netflix e rodada no país vizinho, e também por causa da expansão da rede cicloviária, que tornou Bogotá a cidade latino-americana com mais quilômetros de ciclovias.

Lima - Peru

Outra opção internacional é Lima, no Peru, que cresceu no mercado turístico internacional nos últimos anos pela sua gastronomia. Hoje, por exemplo, os dois melhores restaurante da América Latina estão na capital peruana, segundo a lista The World's 50 Best Restaurants da revista britânica Restaurant: o Maido, de cozinha peruana com influências japonesas, tocado pelo chef Mitsuharu "Micha" Tsumura, e o Central, de comida nacional.

Outros sete restaurantes limenhos estão na lista, que possui oito propriedades brasileiras (seis em São Paulo e duas no Rio de Janeiro). Para além do ranking elaborado pela revista, a vida em Lima gira em torno da comida: segundo diversas publicações especializadas, a capital peruana é hoje o principal destino gastronômico latino-americano, com ao menos 50 estabelecimento de alta cozinha, além da comida popular, que também é muito apreciada.