Publicidade
Entretenimento
MANACAPURU

Ciranda Tradicional posiciona alegorias no 'Cirandódromo' para o segundo dia

Ciranda entra na arena por volta das 21h e traz como tema em 2017 "Manacapuru: o Início da História foi Assim" 02/12/2017 às 12:09 - Atualizado em 02/12/2017 às 13:13
Show alegorias
Alegorias já estão montadas para entrar na arena (Fotos: Jair Araújo)
Paulo André Nunes Manacapuru (AM)

Seguindo uma programação normal de acordo com a sua diretoria, sem atropelos ou corre-corre desnecessários, as alegorias da Ciranda Tradicional já estão posicionadas dentro da Arena do Parque do Ingá para a apresentação de logo mais pelo 2° dia do Festival de Cirandas de Manacapuru (a 84 quilômetros de Manaus).

A ciranda tem como tema "Manacapuru: o Início da História foi Assim", contando as histórias populares da cidade interiorana e, claro, não deixando de fora a preservação da fauna e flora amazônicas.

As alegorias começaram a ser transportadas pelos cerca de 30 empurradores às 3h desta madrugada, e às 11h quase todas elas estavam no local de apresentação.

"Estamos finalizando o transporte na programação certa. Chegaram todas as cinco alegorias e estão faltando chegar apenas pequenos módulos alegóricos. Falta finalizar apenas o painel principal e outros pequenos detalhes", informou Bruno Lima, 26, diretor geral da Ciranda Tradicional.

Caravelas, bem-te-vi e tartarugas são algumas das estruturas que chamam a atenção já dentro da Arena do Cirandódromo.

A iminência de chuvas na região neste período do ano assusta as direções das cirandas. No entanto, pelo lado da Tradicional, Bruno Lima ressalta que as alegorias estão bem preparadas e revestidas com tecidos resistentes como o oxford, que impede que a tinta escorra e, consequentemente, haja prejuízos no brilho da apresentação.

"Existe o medo da chuva, mas estamos preparados para não acontecerem imprevistos ou qualquer problema de segurança", disse ele.

O diretor, que também é coordenador de cordão de cirandeiros da Tradicional, e marido da Porta-Cores, Rosana Carvalho, contou ter um natural "frio na barriga" nas horas que antecedem a apresentação de hoje às 21h, mas que espera que, "se Deus quiser o título vá para o povo do bairro da Terra Preta".