Publicidade
Entretenimento
EM ENCONTRO

Classe artística conhece propostas do novo secretário de Cultura do Amazonas

Durante a reunião foram apresentados os pilares de administração e propostas para os segmentos culturais 07/11/2017 às 17:25 - Atualizado em 07/11/2017 às 19:20
Show denilson novo
Secretário de Cultura do Amazonas, Denilson Novo (com microfone), durante encontro com a classe artística. Foto: Michael Dantas/SEC
acritica.com Manaus (AM)

Artistas e produtores culturais, que se reuniram com o secretário de Cultura, Denilson Novo, conheceram as propostas e esperam ter voz com a aproximação da nova gestão. Na manhã e tarde desta terça-feira (7), no auditório do Palacete Provincial, no Centro de Manaus, cerca de 350 pessoas acompanharam a apresentação dos  pilares de administração da Secretaria de Estado de Cultura (SEC) e as novas políticas que serão tomadas no campo cultural.

O secretário revelou os pilares sobre os quais vai administrar e dialogar com a classe artística, sendo eles a parceria, simplicidade, aproximação, transparência e ocupação. Entre os programas propostos pelo secretário estão o “Espaço Aberto”, que convida artistas a ocupar espaços culturais e já está em andamento; o mapeamento dos segmentos artísticos, que será realizado por meio de um cadastro online para facilitar processos em relação à inclusão destes artistas em eventos da SEC; o programa de temporadas para a música, teatro, dança e outras expressões, que se dará nos espaços culturais, e também sobre a reativação do Conselho Estadual de Cultura.  

Representante do audiovisual, o produtor cultural César Nogueira se diz esperançoso com a nova gestão e vai acompanhar se as propostas para a área serão postas em prática. “O Denilson é da área, então ele entende o lado do artista também. Ele tem um desafio, tanto do lado político quanto financeiro, mas esperamos nos reunir diversas vezes com ele e colocar nossas demandas. Tenho uma boa expectativa por ele ser da arte e por ser ‘sangue novo’”, disse.

Aproximação positiva

O presidente da Ordem dos Músicos, Oziel Maduro, declarou que a aproximação com os artistas é positiva no início da nova gestão e apoia a ocupação dos espaços culturais. “A proximidade com os artistas é essencial para que se tenha uma política de cultura de sucesso. Vi isso com o programa de abertura dos espaços culturais, que há muito tempo não víamos, ou quando víamos eram com artistas internacionais, e é nele que queremos trazer propostas para incluir nossa classe”, comentou.

Representando os grupos folclóricos, o tesoureiro da Liga Independente dos Grupos Folclóricos de Manaus, José de Arimatéia, afirmou que a nova gestão precisa ouvir e entender os grupos do segmento. “Tivemos 22 anos atrelados à SEC e vimos, ao longo dos anos, a pasta perder seu objetivo com o segmento folclórico. O Festival Folclórico, que poderia estar em seu apogeu, não teve o valor que deveria como cultura popular. Temos uma grande expectativa com o novo pensamento da secretaria e esperamos ser ouvidos para que se trace uma política de atenção básica aos grupos folclóricos”, afirmou.

O secretário pontuou que o primeiro encontro com as classes artísticas serviu para quebrar barreiras entre os artistas e a secretaria. “Queríamos ouvir as demandas da classe para afinar propostas e projetos e melhor atender estas classes e todas as manifestações artísticas e culturais. Este será o primeiro de muitos encontros”, afirmou Denilson Novo.

Novas propostas

Junto ao programa “Espaço Aberto”,  o secretário apresentou a proposta de mapear as classes artísticas, por meio de um cadastro online no Portal da Cultura. O objetivo é facilitar processos de inclusão em festivais, editais e demais programas.

“Não conseguiremos reunir todos os artistas em um ano, mas já estaremos construindo um banco de dados que poderá ser usado em futuras gestões e vai facilitar muito a localização e chamamento destes artistas”, disse Novo, se referindo ao desafio de transformar quatro anos em um. “Estamos falando de uma cartografia cultural e cada passo que dermos é uma etapa conquistada. Queremos facilitar processos com um portfólio simples e eficiente destes artistas”, definiu.

O cadastro online é uma das propostas do novo Portal de Cultura, que ainda está em desenvolvimento. O mapeamento também servirá para os representantes de movimentos culturais dos bairros de Manaus e interior do Estado, além da capacitação dos fazedores de cultura para se tornarem multiplicadores das ações da SEC.

O Conselho Estadual de Cultura também está nos planos de Denilson Novo para uma maior aproximação com os artistas. “Já em novembro queremos definir como vamos reativar o conselho. Isso vai requerer um esforço muito grande não só da SEC, mas como da classe artística. Estamos avançando o mais rápido possível nessa questão”, disse.

Espaço Aberto

Durante o encontro, também foram discutidas, possíveis parcerias  entre a SEC e a classe artística, por meio do programa “Espaço Aberto”, com a política de ocupação dos centros culturais, teatros e centros de convivência pertencentes ao Estado, nos meses de novembro e dezembro. O programa começou a receber propostas a partir do dia 27 de outubro, com prazo prorrogado até a próxima quinta-feira (9).

Espetáculos, ensaios, oficinas, lançamento de livros e também eventos de ajuda a desabrigados são algumas das propostas recebidas pela secretaria. “Queremos a aproximação para obter a ocupação destes espaços e enxergar novas oportunidades de parceria entre os artistas carentes de espaço e que necessitam ser ouvidos”, disse.

Documentação exigida

Segundo o diretor dos Centros Culturais da SEC, Taciano Soares, as propostas devem conter descrição da atividade a ser realizada, sugestão de data, local e horário para realização do evento, um breve currículo dos idealizadores e informações para contato (nome, endereço, e-mail e telefone). No envelope, é preciso identificar o documento como “Proposta de Ocupação para o Programa Espaço Aberto – Modalidade Permissão de uso, sem ônus”.

Os pontos de entrega são Secretaria de Estado de Cultura (Avenida Sete de Setembro, 1.546, Centro, anexo ao Centro Cultural Palácio Rio Negro); Centro Cultural Povos da Amazônia (Praça Francisco Pereira da Silva, antiga Bola da Suframa); Centro Cultural Palácio da Justiça (Avenida Eduardo Ribeiro, 901 – Centro); Sambódromo (Av. Pedro Teixeira, 2565 – Flores); Usina Chaminé (Av. Manaus Moderna s/n – Centro) e Teatro da Instalação (Rua Frei José dos Inocentes, s/n – Centro) ou via e-mail, no endereço ocupacaoespacoaberto@gmail.com.

Publicidade
Publicidade