Publicidade
Entretenimento
Vida

Comilança e férias infantis: controle dos pais é fundamental

Conforme o nutrólogo, com o período de final de ano e férias, as crianças aumentam o consumo de alimentos ricos em açúcar, sal, gorduras saturadas e farinha refinada, o que deve ser policiado pelos pais 26/12/2012 às 11:55
Show 1
Período de férias deve ser alerta para os pais, segundo especialista
Laynna Feitoza Manaus, AM

O fim do ano chegou, e com ele as férias escolares da criançada! Para quem é pai e mãe, é uma delícia ter os pequenos em casa, usufruindo de descanso e diversão. Porém, o mês que carrega as comemorações natalinas e de passagem de ano precisa ser alvo de atenção por parte dos genitores, pois há maior liberdade de comportamento, seguida por uma liberdade maior de consumo de alimentos dos mais variados tipos.

Conforme o Dr. Alexander Gomes de Azevedo, especialista em Nutrologia e diretor técnico internacional na Academia Latino-Americana de Nutrologia (ALAN), com o período de final de ano e férias, as crianças aumentam o consumo de alimentos ricos em açúcar, sal, gorduras saturadas e farinha refinada.

Bolos doces, salgadinhos e refrigerantes: controle acima de tudo

“Neste grupo estão panetones, bolos, doces, salgadinhos e refrigerantes. Muitas vezes as crianças trocam almoço ou jantar por lanches. Além disso as crianças dormem mais e praticam menos atividades físicas, que geralmente fazem na escola de duas a três vezes por semana e ficam mais tempo no computador e nos games virtuais”, afirmou o médico.

Entre os alimentos que precisam ser controlados pelos pais neste período são os industrializados, ricos em açúcar, e com gordura saturada, de acordo com o especialista. “Bolachas recheadas, biscoitos, pão branco, achocolatados comuns, bolos, doces, chocolates ao leite, sorvetes, panetones, refrigerantes, macarrão instantâneo, frituras, batata frita, entre outros”, frisou o nutrólogo.

Ele ainda explicou o porquê. “Esse alimentos são ricos em calorias e praticamente destituídos de nutrientes (vitaminas, minerais, fibras, aminoácidos, proteínas e gorduras de boa qualidade, como é o caso do ômega-3). Isso favorece o ganho de peso, além de deixar o organismo da criança com deficiência de um ou mais nutrientes, que é conhecido como ‘fome oculta’, que a longo prazo favorece também o aparecimento de doenças”, salientou o médico. Dentre os problemas mais graves que podem surgir, Azevedo destacou a obesidade infantil como o que mais atinge os pequenos por meio do consumo exacerbado de alimentos.

O segredo é moderar, não excluir

O Dr. Alexander enfatizou, porém, que todos os grupos alimentares devem estar presentes na alimentação das crianças. “Os pais devem oferecer aos seus filhos todos os grupos de alimentos nas principais refeições: proteínas (carnes, peixes, ovos, leite e derivados, feijão, soja, etc.), carboidratos complexos ou de baixo ìndice glicêmico (frutas, verduras, legumes, cereais integrais, pão, macarrão e arroz, todos intregrais, gorduras boas (peixes, azeite de oliva extra-virgem, óleo de linhaça). Como estamos no período mais quente do ano, os pais devem aumentar a oferta de água, sucos naturais e frutas para evitar desidratação”, disse.

E, na verdade, não é só o período de férias que exige mais atenção à comilança da criançada. As orientações, conforme o médico, precisam ser seguidas durante todo o ano, fazendo com que o pequeno adquira novos (e saudáveis) hábitos alimentares, que são importantíssimos para o seu desenvolvimento físico e mental.

“O prato da criança deve ser colorido e ‘divertido’. Claro que as guloseimas podem estar presentes, mas em quantidade limitada, pois picolés, sorvetes, sanduíches, refrigerantes, doces e bolos, fazem parte deste período tão gostoso das nossas vidas”, confirmou Gomes Azevedo.

E alternativas de cuidado com as crianças são viáveis para reforçar ainda mais os laços de afetividade com os seus filhos, afirmou Alexander. “Não devemos esquecer do incentivo à prática de atividades físicas e recreativas, que é importante para toda família, pois os pais terão a oportunidade de interagir mais com os seus filhos. Frases que deve ser lembradas: ‘a saúde do seu filho depende principalmente de você’; quem ama, cuida; ‘não basta ser pai, tem que participar’”, finalizou o especialista em Nutrologia.