Publicidade
Entretenimento
Beleza

Como adaptar as makes de passarela para o dia a dia?

Durante visita a Manaus, maquiadora sênior da MAC Cosmetics ensina passo a passo 24/04/2016 às 16:08
Show 1073512
Segundo Fabiana Gomes, é preciso deixar a maquiagem muito 'feita' de lado e ousar
Laynna Feitoza Manaus (AM)

Uma tendência que começou a aparecer desde a temporada de alta costura e que depois se confirmou no Prêt-à-Porter nas últimas temporadas foi o uso de cores, com tons pasteis para maquiagem. A maquiadora sênior da MAC Cosmetics, Fabiana Gomes, acha que especialmente aqui no Brasil isso ainda é um tema que gera bastante dúvida, e que ainda existe muito tabu em usar cor. “As mulheres começaram a explorar, se jogar mais em elementos da maquiagem, mas usar cor ainda parece meio que um terceiro capítulo que elas têm medo de entrar”, pondera.

Em sua visita a Manaus na última semana, Fabiana ensinou muitas a trazerem as cores para a realidade das mulheres, principalmente as makes de passarela para o cotidiano. “O que eu quis fazer é traduzir essa linguagem, trazer para a vida real dessa maneira. Incorporando duas tendências, que é a de máscara de cílios mais exagerada e a questão das cores [azul claro]. No que eu acho que deixa o olho mais palatável, que conversa mais com o dia a dia da mulher. Então é uma maneira de fazer essa transição para a vida e para as ruas”, defende ela.

E para cá?

Você está se perguntando como trazer uma make de passarela para o dia a dia quente e úmido de Manaus, certo? Gomes, porém, tem a resposta na ponta da língua. “Pensando na condição do clima quente e úmido, deve-se usar uma sombra de alta duração, como a Pro Longwear, com base para uma outra sombra em pó. Além da gente se precaver com uma sombra de longa duração, a gente sobrepõe camadas de produtos diferentes, que é o que garante que essa tendência vai durar. Não adianta a gente adaptar, fazer uma make linda e que, cinco minutos depois, vai estar no queixo”, destaca a maquiadora.

Uma das coisas que nas passarelas é muito diferente da maquiagem social – e que é legal a mulher incorporar no dia a dia – é respeitar a própria individualidade. “É não usar aquela maquiagem de caracterização, onde parece que todo mundo tá usando um mesmo look. Na modelo, quis deixar um visual mais puro possível. Pus um pouco de cor na bochecha, um pouco de gloss rosa na boca, mas não exagerado com brilho para ter contraste de textura, já que o olho é mais opaco, apesar de ter cor. O look final é bonito, delicado e ao mesmo tempo, ousado”, assegura.

Às favas com os fios ‘recatados’

Considerada a “moldura do rosto”, a sobrancelha é um elemento que não fica alheio ao rosto na hora da maquiagem. O tipo de sobrancelha que mais aparece nas passarelas é uma sobrancelha um pouco mais reta, levemente desorganizada. Segundo Fabiana, vale a pena adotar essa proposta para o cotidiano e não incorporar a “neurótica da escovinha”. “Ela não é tão perfeita e ‘fio-a-fio’ como a gente vê as sobrancelhas no Instagram e nas demais mídias sociais, onde a sobrancelha tem aquele bloco de cor, que começa com a base meio quadrada, com corretivo em cima e em baixo prendendo essa sobrancelha. A sobrancelha de passarela é mais livre, levemente mais selvagem e natural também”, opina ela.

Isso significa que você pode ficar mais despreocupada com os fios que despontam isoladamente em baixo ou em cima dela. “Quando há um fio ou outro sem tirar, a gente não mexe. Um dos ‘briefings’ que a gente mais recebe ao fazer as sobrancelhas é para dar o efeito de que o marcador nunca esteve ali. Essa mulher muito feita, que a gente vê na Internet, é o contrário do que a gente vê nas passarelas, que possuem uma maquiagem mais orgânica, com individualidade, que respeita cada rosto. Por isso que eu quis tirar o que a modelo já tinha e penteei para cima. Acho que isso dá mais leveza para o look e deixa mais jovem e não tão comportado”, encerra a maquiadora.

Três perguntas

Fabiana Gomes, maquiadora Sênior da MAC

Nossa cidade é marcada pelo clima quente e úmido. Que dicas você dá para manter a produção nessas condições?

"O que a mulher brasileira passa batido é preparação da pele. A primeira coisa é limpar, pois não dá pra começar com a pele oleosa, suja ou com resto de make do dia anterior. Pra entender se você precisa de primer ou hidratante é bom ir ao dermatologista. Sugiro hidratar de maneira leve. Independente do número de passos, é a qualidade da pele que vai determinar o resultado. No lugar quente menos é mais".

Seus cabelos e pele são lindos! Como cuida da sua beleza?

"Eu sou muito feliz que essa coisa do cabelo liso perfeito tá mudando porque que sofrimento é tentar ser outra pessoa. Eu não estou falando do alto da cadeira da sabedoria, pois já fiz chapinha também... No Brasil me falam isso ‘teu cabelo é autêntico’. Não! Ele é normal! Quem tem cabelo enrolado tem que ter um bom corte, achar um finalizador pra chamar de seu e o jeito certo de estilizar. Isso toma um tempo, mas você tem que se dar a chance de ir pro caminho mais natural. Quanto à pele, cuido muito e constantemente vou ao dermatologista".

Como você vê essa explosão dos tutoriais e posts sobre maquiagem?

"A mulher brasileira tem acesso a muitas marcas que nunca teve e muita informação e parece que esse é o momento de catarse que ela quer fazer tudo ao mesmo tempo. Eu ainda sou a favor de se reconhecer as pessoas e acho que você não pode se anular numa maquiagem. Estamos começando a encontrar esse meio termo de usar a maquiagem a seu favor e não ser escrava dela; valorizar o que se tem de bonito, organizar o que precisa e se divertir".

A modelo está usando: Gloss Vamplify; base Pro Longwear; sombra Pro Longwear e blush Mineralize, todos da MAC

* Colaborou Lucy Rodrigues