Publicidade
Entretenimento
Vida

Concerto 'Luz e Escuridão' dá tom cênico à música barroca

O espetáculo vai contar com a participação de 12 estudantes de música barroca de Manaus, Rio de Janeiro e São Paulo. Com entrada gratuita, a apresentação é uma iniciativa do projeto O Discurso Harmônico e conta com o apoio da Secretaria de Estado de Cultura (SEC) 11/12/2012 às 09:49
Show 1
Roger Lagr (acima) é um dos convidados
Rosiel Mendonça Manaus, AM

Hoje é dia de ouvir música barroca de uma forma diferente: o concerto cênico “Luz e escuridão”, que acontece no Centro Cultural Palácio da Justiça, a partir das 20h, traz pela primeira vez à cidade um novo conceito em apresentações de música clássica, com performances e cenário.

O espetáculo vai contar com a participação de 12 estudantes de música barroca de Manaus, Rio de Janeiro e São Paulo. Com entrada gratuita, a apresentação é uma iniciativa do projeto O Discurso Harmônico e conta com o apoio da Secretaria de Estado de Cultura (SEC).

Dentre os convidados estão os cariosas Roger Lagr (violino barroco) e Laura Rónai (traverso, ou flauta barroca), além do paulista Anderson de Lima (cordas dedilhadas). Segundo Laura, este é o início de uma colaboração importante entre os Estados. “Os músicos de instrumentos barrocos não são numerosos no País, por isso é interessante reunir forças para uma coisa tão bonita como essa iniciativa”, declarou a artista.

TENDÊNCIA MUNDIAL

Para Laura Rónai, a ideia de levar os concertos a um outro patamar – no caso, o cênico – não é de hoje. “Na minha adolescência, participei de um grupo de música barroca em que os músicos se caracterizavam com roupas da época. Acredito que quanto mais conseguirmos inovar e ao mesmo tempo nos divertirmos, melhores serão os resultados. É válido tudo que faça o concerto ser mais interessante, para segurar a atenção da plateia e atrair um público diferente”.

Quem assina a direção cênica do concerto “Luz e escuridão” é William Pereira, figura frequente do Festival Amazonas de Ópera.

REPERTÓRIO

Fazendo jus aos contrastes que marcaram o Barroco, estilo que floresceu entre os séculos 16 e 18, o concerto cênico de hoje vai usar as ideias de luz e escuridão para costurar o repertório da apresentação. A primeira parte, referente à luz, vai ressaltar instrumentos como a flauta e o violino. Na transição, que terá uma atmosfera mais densa, peças para cravo, alaúde e guitarra barroca ganharão destaque.

Para encerrar, a escuridão será representada por árias de Vivaldi (1678-1741) e duas cenas da ópera “Armida”, de Jean-Baptiste Lully (1632-1687), que contarão com a participação da soprano Miriam Abad, no papel de Armida, e do tenor Fabiano Cardoso, no papel de Rinaldo. Outras participações especiais serão de Amanda Aparicio, Yana Moreira, Matthews Cirne e Luis Carlos, alunos de canto da Casa Ivete Ibiapina.

Serviço

o que é:  Concerto cênico “Luz e escuridão”

onde:  Centro Cultural Palácio da Justiça, avenida Eduardo Ribeiro, Centro

quando:  Hoje, às 20h